Poesia - bem antiga, por sinal ...

Devaneios
 
Penso,
repenso,
não penso ...
 
Como um barco,
vago pelos caminhos,
da solidão.
 
"Não se sinta só",
afirmam.
 
"Está sentindo alguma coisa?",
perguntam.
 
Não respondo,
até porque não sei
se sinto alguma coisa.
 
Penso
que não penso.
 
E é só.
 
FPS, 25/07/00, 11:08
 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conclusões sobre a Lei Seca

Poesia: Desespero da Arlequina

Porque as Igrejas não discutem o que acontece na sociedade? Mais ainda: será que salgamos o mundo como deveríamos?