Poesia

avidaemcincogarrafas

Briga no Boteco

Todo boteco deve ficar em paz.

Isso é fundamental.

Mas, e na hora cretina,

em que alguém se amotina,

fica possesso,

e ameaça,

que vai quebrar tudo

e detonar, e demolir, e …

EPA!!!

Calma, calma,

todo mundo aí ...

O poeta está falando,

e é hora de aquietar-se;

os ânimos, que se exaltam,

tem que se acalmar.

Por isso, faz favor:

Facas, nos cintos.

Cadeiras, no chão.

Revólveres,

que não tem aqui,

na mão daquele senhor,

aquele ali,

ali mesmo,

o pequenininho,

de um metro e setenta

e cento e dez quilos

de banha e músculo,

que você não vai querer saber como é que são na intimidade.

Por isso,

por-gen-ti-le-za, senhores ...

Desarmemos os espíritos

e deixemos as coisas

rolarem soltas,

porque aqui é um boteco de paz.

Como, aliás, deve ser.

ENTENDIDO?

fps, 19/02/2010, 18:20

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conclusões sobre a Lei Seca

Poesia: Desespero da Arlequina

Dória prefeito: a vitória do que São Paulo é sobre o que ela deveria ser