Poesia

Sobre o Natal

É tarde da noite
e o sono não vem.

Por quê?

Já nem sei
- e, se soubesse,
que diferença faria?

Não faz muito tempo,
estava feliz,
olhando a todos,
sentindo a beleza
da noite que foi.

Passou o Natal,
e o que sobrou?

Sobraram calúnias,
somente injustiças,
sobrou a miséria
do resto dos dias.

Somente abandono
e a destruição
de um homem que sente
total rejeição
de toda pessoa
de todo ser vivo
de todo alguém.

Pensar, já não posso,
pois sinto o cansaço
que já logo vem.


Desculpe,
devia ter parado para pensar.

É Natal, poxa,
e, em todo canto,
há um sorriso no ar.

Mas a verdade é
que não haverá Natal feliz para mim
enquanto tão poucos puderem ser felizes
no resto do ano.



Feliz Natal a todos.

Feliz Natal.

fps, 02/01/96

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conclusões sobre a Lei Seca

Poesia: Desespero da Arlequina

Dória prefeito: a vitória do que São Paulo é sobre o que ela deveria ser