Poesia, sem nome



quero a mulher que amo, a mulher que me ama e a mulher da vida que amo.

mas quero que a mulher que amo me ame como a mulher que me ama me ama e a vida que amo com a mulher que me ama seja vida, 

assim como a mulher da vida que ama ame a vida que a mulher que me ama dá.

daí a mulher que amo me amará como a mulher que me ama, e a mulher da vida que ama será a mulher da vida que amo.

e a vida e a mulher e o amor serão sempre o amar ... 

fps, 02/03, 13:03

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conclusões sobre a Lei Seca

Poesia: Desespero da Arlequina

Porque as Igrejas não discutem o que acontece na sociedade? Mais ainda: será que salgamos o mundo como deveríamos?