O conflito do ser vivo diante de si mesmo

Pensamentos,
voam ao longe,
sentidos,
corroídos,
amores, de grande rancor.
 
Consumidos,
torcidos,
recusados, aceitos,
sofridos
em suspenso, torpor.
 
É a vida,
de tantas esperanças,
que se espera;
 
Na procura,
de um grande afago
traz a quimera.
 
Até quando terei que esperar
pelo fim dessa dor?
 
Ou quanto me acostumarei
ao tremendo horror?
 
Não sei ...
 
Pensamentos, voem ao léu,
vocês são o que me segura no chão.

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conclusões sobre a Lei Seca

Poesia: Desespero da Arlequina

Porque as Igrejas não discutem o que acontece na sociedade? Mais ainda: será que salgamos o mundo como deveríamos?