Para alegrar o dia, revirando conceitos de um antigo baú ...

Final de ano

 

                Muitas coisas nos acontecem todo final de ano. Preparativos para as festas, música, felicidade, amor e paz são passados e vendidos em todos os cantos.

 

                Por todos os lados, a correria de final de ano é evidente. Movimentos nas lojas denunciam que é época de dar presentes, e também de receber. Nas empresas, a preparação do fim de ano também é muito grande: é nesse período que se vende mais, que se trabalha mais ... enfim, que se corre mais, pensando em fechar tudo aquilo que passou no fim do ano.

 

                É um período de alegria, pelo fim das aulas dos estudantes. Todos podem, enfim, descansar e curtir um pouco a paz. No entanto, poucos, às vezes, se lembram do motivo de tanta festa, e preferem deixar tudo isso de lado, por causa da correria, dos presentes, da festa e de tudo que lembra o final do ano.

 

                “Hoje, nasceu um menino”. Essa frase, há muito tempo, povoa os corações daqueles que são cristãos em todo o mundo, pois o Natal é a festa cristã mais comemorada no ano todo, mais que a Páscoa, mais que os feriados católicos, mais do que qualquer dia do ano, mesmo que existam símbolos que estejam fora de qualquer ligação com essa festa, mesmo que queiram apagar o significado dessa festa de final de ano.

 

                “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. Pensando em Jo 3.16, mesmo os pinheirinhos, roupas vermelhas berrantes e tudo o mais que já foi feito para tentar “vender” o Natal dos sonhos de todo mundo, que pode ser comprado e vendido como se fosse apenas uma questão de “dar o melhor presente” ou “fazer a melhor festa”é secundário, diante do fato de que o Natal, antes de tudo, é a festa do nascimento de Cristo, e a esperança de um Ano Novo melhor, com as graças de Deus, é o que une os pensamentos de todos aqueles que crêem nas palavras do Filho de Deus, aquele que veio para salvar os perdidos e trazer luz a um mundo onde somente as trevas reinavam.

 

                Diante disso, apenas podemos desejar que possamos pensar no significado das festas de fim de ano. Que o Natal não seja, entre nós, mais uma das festas que são usadas apenas para tirar dinheiro do povo, e seja realmente uma festa digna de nossos pensamentos, atos e palavras. E que o Ano Novo que virá possa nos trazer muitas felicidades, e muitas vitórias, apesar dos problemas que enfrentamos em vida.

 

                Que Deus esteja conosco no Natal, no Ano Novo, e em todos os dias de nossas vidas. Sempre!

 

 

Fábio Peres (em 11 de dezembro de 1995)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conclusões sobre a Lei Seca

Poesia: Desespero da Arlequina

Porque as Igrejas não discutem o que acontece na sociedade? Mais ainda: será que salgamos o mundo como deveríamos?