Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2006

Em tempos de PCC ...

Não custa nada reeditar esse texto antigo, mas alguém duvida de que vai ser assim mais uma vez? A roda dos crimes que abalam o paísTudo começa numa nota de pé de página, num jornal de grande circulação, tipo empresário é assassinado misteriosamente'', ou ''fulano se encontra desaparecido'', ou ''famoso encontrado morto na porta de sua casa''; nada de mais, apenas uma nota sobre uma suspeita de um crime ou um crime que, a princípio, pareceria corriqueiro.Depois, as notícias que dão o choque: o empresário assassinado fora barbaramente torturado até a morte por traficantes de drogas adolescentes, ou o corpo de fulano é encontrado dilacerado por ordens do próprio filho, ou o famoso é morto por alguém que se desejava invejoso e firmara um pacto de morte com a própria mãe para executar o crime.Mais notícias: o empresário era um senhor benevolente que dava emprego a cerca de 1000 funcionários e ajudava às famílias destes, o fulano era um pai…

O mistério de Suzane (CUIDADO!!!)

Não sei se o texto abaixo foi realmente escrito pelo Luís Nassif - tem toda a cara de sê-lo, já que é típico do colunista da Folha de São Paulo chamar a atenção para fatos que passam alheios à classe média (em geral conservadora) que lê os jornais todos os dias nas grandes cidades do Brasil - entretanto, não deixa de ser um enfoque muito diferente do caso Suzane o que você vai ler nas próximas linhas deste blog. Entretanto, NÃO LEIA ESSE TEXTO SE VOCÊ NÃO QUISER PENSAR DE VERDADE NO ASSUNTO - se for desse jeito, por favor, feche este blog, desligue o micro e vá ver qualquer porcaria na ''TV''; você com certeza vai gastar seu tempo de forma mais eficiente que lendo o texto abaixo. Omistério de Suzane

Por Luís Nassif 15/4/2006
Manfred Von Richthofen era homem de hábitos rígidos. Colegas seus, do Liceu Pasteur lembram-se dele no ginásio como um garoto reprimido, primeiro da classe, sempre de calças curtas e cabelo cortado "à reco" - numa época em que o…

Uma boa reflexão, para todos os dias ...

Wallace Johnson estava com 40 anos de idade em 1939. Achava que tinha estabilidade em seu emprego na serraria. Então um dia o seu patrão o chamou e disse-lhe que estava despedido. Isso não podia ter acontecido numa época pior. Os Estados Unidos da América estavam justamente saindo da grande depressão financeira da década de 30, e Johnson tinha esposa e filhos para manter. Como, perguntava-se ele, poderia a família sobreviver financeiramente agora?
Johnson saiu da serraria com a sensação de que seu pequeno mundo desabara. A caminho de casa, entretanto, orou por orientação divina. Quando entrou em sua casa e contou à esposa o que havia acontecido, o seu estado de ânimo já era melhor.
- O que é que você vai fazer agora? - quis saber a esposa.
- Vou hipotecar a casa e entrar no negócio de construções - anunciou ele.
Sua primeira tentativa foi à construção de duas pequenas estruturas. Dentro de cinco anos, a família Johnson estava multimilionária. Wallace foi o fundador da rede de…

Poesia

Sonidos
El hombre caminaba por la calle.
Y con el, un sonido. De estorias, de vida. ?Silbato de flauta?
No lo se, no lo se.
?Sonido exquisito?
Quisiera saberlo.
Sonido ...
De recuerdos, estorias que oyera; sonido de un dia, de un malo recuerdo; sonido de cambio, de luchas, probables.
O solo un sonido ...
El hombre caminaba por la calle.

Y, en sus celos, los sonidos iban ... y iban ... y iban ... y iban ...
FPS, 10-08-2003, 18:54