Poesia

Percepção

 

Tive um sonho, um sonho distante,

em brumas me vi.

Procurando minh´alma querida,

que um dia perdi.

 

Sussurrei aos ventos que me achavam,

perguntei por ti;

eles então diziam de volta:

"Não sei, não a vi".

 

Nas montanhas meu vulto clamava,

Não achei ali;

e aos poucos, sombra fatigava,

e então feneci.

 

Mas aos poucos o tempo passava,

e então cresci;

E o futuro me era de guia,

e assim ascendi.

 

Onde te procurei? Não sabia,

num livro que eu li;

E os olhos ardiam em festa,

caminho? é aqui!

 

O meu sonho voltava em fúria,

e então percebi;

só em mim a chama arderia,

o que concebi.

 

Foi então que parei, pensei, refleti.

E só assim, te senti.

 

E sem perceber, eu sorri ...

 


Fábio Peres da Silva
 

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conclusões sobre a Lei Seca

Poesia: Desespero da Arlequina

Porque as Igrejas não discutem o que acontece na sociedade? Mais ainda: será que salgamos o mundo como deveríamos?