29.10.09

Criança Esperança vs Teleton: a "concorrência do bem" que dá certo

É estranho chegarmos atrasados à festa, quando o Teleton bate recordes de arrecadação e vai construir uma nova unidade em Poços de Caldas, sem falar na que será "ganha" na Zona Sul de São Paulo (da qual falaremos abaixo) - mas não deixa de ser maravilhoso que esteja ocorrendo uma espécie de concorrência entre as principais redes de televisão brasileiras para alavancar sua imagem e, o mais importante, garantir que entidades sérias recebam recursos para realizar suas obras assistenciais e divulgá-las Brasil afora.


Poderíamos dizer que seria até melhor se as emissoras realmente se unissem em pools de transmissão para ajudar alguém, mas a realidade nos mostra que é melhor que todos na televisão trabalhem nos seus "pequenos mundos", pois os esquemas comerciais impedem que uma emissora coopere com a outra pelo bem comum. Entretanto tal situação tem seu lado bom, pois força a segmentação de estratégias das várias campanhas: enquanto o Criança Esperança trabalha mais na divulgação da imagem do Unicef e dos direitos da criança, tão negligenciados no cotidiano, o Teleton trabalha mais com o concreto, ajudando a transformar a AACD num centro de referência quando o assunto é deficiência física.


E, no final das contas, o que importa é a meta atingida, seja qual ela for - por isso, que seja bemvinda a concorrência das correntes do bem.


...


O Teleton foi espetacular, mas apenas um fato deveria ser lamentado: quando o Kassab e o Serra apareceram para anunciar a parceria na construção de dois novos centros de reabilitação na Zona Sul de São Paulo. Lamentável, na verdade, porque quem cuida da AACD e de eventos sociais deveria saber que obras desse tipo são apolíticas e deveriam continuar sendo apolíticas, assim como também deveria ser discreta a participação de doação dos artistas (o próprio Silvio Santos declarou, durante o evento, que estavam descumprindo regras dos donos do programa).


Será que vale a pena transformar eventos que servem para arrecadar dinheiro para caridade em propaganda, seja política, institucional ou mesmo pessoal? Eu sei, eu sei, é para caridade, mas ... será que a Globo faria isso com o Criança Esperança?


Ou melhor: será que o Unicef permitiria que a Globo usasse sua imagem da forma que a AACD permitiu nesse Teleton?

2 comentários:

  1. Anônimo10:27 AM

    O Serra pode fazer propaganda de uma "obra" que ainda não fez (suas "maiores" obras realizadas são postos de pedágio...). O Kassab não tem áreas disponível para moradias populares (projeto Minha casa, minha vida) mas agora doa área para a AACC?
    Fora domotucanos! Aguardem 2010!!!!

    ResponderExcluir
  2. Nunca gostei destes progrmas de arrecadação monstro feitos por redes de TV que se interessam mais pelo próprio negócio do que fazer caridade. Sei que elas em si mesmas não são empresas filantrópicas, mas hipocrisia é hipocrisia e não merecem o meu apoio. Não vejo e ponto!

    ResponderExcluir

Faça seus comentários AQUI.

Para pensar - Em busca da sétima chave. (via adesejar)

O seu caos não me assusta, pelo contrário, eu quero fazer morada nele. Em busca da sétima chave. (via adesejar) http://ift.tt/2BjX21I via ...