Poesia, ou prosa …

perseguicao

Paradoxo de 17 de abril de 2010
(ou do covarde vivo e do herói morto)

 
Dizem
que Pedro negara
a Jesus por três vezes
 
como se isso fosse sinônimo
de coisa ruim sobre ele;
 
como se ele tivesse falado muito
e sido medroso
quando seu Mestre mais dele precisava.
 
Só que eu acho
que ninguém percebeu
 
que devia ter um dedo-duro
pronto para dizer:
 
"Prendam ele! Ele o conhecia"
 
E aí Jesus Cristo perdia seu número 2.
 
Nem se podia perguntar
se ele não viu os centuriões,
enormes, robustos, armados,
 
preparados para mandá-lo a cruz
com seu Mestre querido.
 
Por isso,
creio que não foi muito fácil para ele dizer:
"não o conheço".
 
E, após a terceira negativa,
após Cristo virar-se para ele,
e quando foi-se para chorar,
 
o Mestre viu que ele estava salvo, e tinha escapado ...
 
... e então, de volta, deu um suspiro de alívio.
 
E nessa hora, creio eu,
 
Cristo sorriu.
 

fps, 17/04/2010, 19:48

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conclusões sobre a Lei Seca

Poesia: Desespero da Arlequina

Dória prefeito: a vitória do que São Paulo é sobre o que ela deveria ser