Uma lição contra o “classe média way of life”, e um comentário a respeito

Idelber Avelar conta-nos uma história que realmente mostra, na sua simplicidade, quanto os brasileiros de classe média conseguem ter preconceitos, seja à direita ou à esquerda do espectro político. Em seu relato, que pode ser lido, pela ordem, aqui, aqui e aqui, uma família tipicamente da classe B recebe uma lição quanto à soberba contra uma outra família, emergente da classe C que ganhou poder e prestígio na era Lula, mas que ainda é vista com muitos preconceitos por “não ter estudado” e “não saber falar inglês”, entre outras pataquadas que os remediados repetem para desfilar seu ódio contra o petismo lulista e tudo aquilo que ele tem representado na sociedade de hoje.

Nesse caso esse blogueiro se reserva a copiar, sem tirar nem pôr, o comentário que escreveu no blog “O Biscoito Fino e a Massa”:

Idelber, gosto da sua visão de mundo mas nessa atitude há uma situação maravilhosa e uma nojenta: é realmente impressionante ver como o brasileiro de classe média "B", herdeiro das famílias de migrantes que trabalharam para que os filhos estudassem, baixa a cabeça diante do estrangeiro, numa atitude de colonizado bem típica do "classe média way of life" que tem sido ensinado geração após geração a esse pessoal de cabeça (tão) pequena.

Contudo, ao qualificá-los como racistas, xenófobos e escória, você (e qualquer um que aqui está) incorre no erro oposto, o de achar que toda e qualquer situação se explica pela luta de classes, e de que essas pessoas deveriam ser defendidas de alguma coisa. Ora, a classe C que você defende está em Miami porque ela aspira justamente a ser a classe B que discrimina porque acha que seu conhecimento vale alguma coisa; eu sei, pode ser que essa postura do "socialismo classe-média" tenha até valido a pena, mas tenho muitas controvérsias se alcançou algum objetivo a não ser fazer com que você se sentisse vingado pela eterna briga da luta de classes no Brasil.

Afinal, a atual classe B (justamente a que mais dá nojo) é filha dos imigrantes que aspiravam chegar a ser uma elite; e foi justamente por entender que a classe C queria chegar a ser B que Lula venceu duas eleições e que Dilma será a primeira mulher presidente desse país.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conclusões sobre a Lei Seca

Poesia: Desespero da Arlequina

Dória prefeito: a vitória do que São Paulo é sobre o que ela deveria ser