Como fazer um evangélico sentir vergonha de ser crente

Comprovados os resultados do primeiro turno, fica a certeza do seguinte: o povo de Deus ainda precisa aprender muito sobre política, para não ter que endossar comentários como esse, do blog do Idelber Avelar:

Caro Idelber, discordo que Marina seja a grande vencedora. O Brasil foi quem perdeu feio hoje. A onda verde, acho que mais forte do estado do RJ, foi apenas resultado de extremismo religioso. Sim, vc que tanto critica o extremismo nos EUA, agora saiba que ele está aqui no Brasil. De sexta até hoje, pude presenciar que frequentadores de igrejas, principalmente evangélicas foram bombardeados com o que existe de mais sórdido contra Dilma. Essas pessoas, que votariam Dlma, foram de Marina. Não tenho dúvida que se essa bomba não for desarmada, ela ficará mais poderosa e vai favorecer Serra. Será o pior dos mundos. Teremos uma eleição decidida por motivos religiosos, e um candidato eleito que não representa seus eleitores, sendo apenas beneficiário de uma campanha do radicalismo religioso. Desconfio que no segundo turno não haverá debate político. Será uma sucessão de boatos e desmentidos e a palavra mais ouvida será Deus e Jesus.

E, confesso, nem sei o que sinto agora: a princípio, vergonha por ser evangélico praticante, e de ser confundido com uma nação de ignorantes que não entendem que não é o presidente da República que muda a legislação sobre o aborto ou casamento gay; também sinto vergonha de fazer parte de um grupo de pessoas que não sabem – ou não querem saber – que há grupos políticos dentro dos partidos que lutam para ter seus direitos preservados, e que é direito deles correr atrás de suas opiniões, não importa como.

Mas, principalmente, sinto RAIVA profunda de gente que prefere eleger membros de Opus Dei (Alckmin), espíritas (Covas) e praticantes de qualquer atividade mística (Serra) a colocar um membro das esquerdas no poder, só porque supostamente eles seriam “mais decentes” que os membros do PT, partido onde há evangélicos que tem a coragem de discutir os assuntos abertamente.

Quiseram ouvir o Piragibe e os demais, parabéns aos que garantiram o segundo turno; só não reclamem do que estão fazendo com nosso país, três semanas em que o fedor vai ser cada vez maior, e que poderiam ser evitados, entre outras coisas, por gente que preferiu dar ouvidos às denúncias vazias mandadas email afora.

E que fazem um evangélico praticante sentir-se mais e mais enojado por estar vendo o atraso que pode se anunciar nesse país, promovido por gente que ele chama de irmãos e que ama, em Cristo Jesus.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conclusões sobre a Lei Seca

Poesia: Desespero da Arlequina

Porque as Igrejas não discutem o que acontece na sociedade? Mais ainda: será que salgamos o mundo como deveríamos?