31.3.12

Havia MESMO risco de ditadura comunista no Brasil em 64?

A ditadura fará 48 anos de verdade amanhã.

Estranho falar nesse assunto, tanto tempo depois que os militares resolveram cumprir as ameaças que pairavam desde 1946 e iniciar o período mais negro (e complexo) de nossa história.

Porém, como Norma Braga, em seu blog, decidiu discorrer um pouco a respeito da “ameaça comunista”, dou cá meu pitaco a respeito, até porque a discussão vale a pena e esse blog não é só poesia e prosa.

E começo pela discordância: a tal da “ameaça comunista”, que foi pretexto para o golpe.

Não que seja favorável à idéia de uma ditadura de esquerda no Brasil, longe disso: mesmo os esquerdistas condenam os guerrilheiros da época, como o saudoso NPTO, que nesse post falou diretamente a respeito dos erros daquelas milícias, entre elas ensinar o bandidinho a ser bandidão.

Mas é um fato: os militares erraram na dose – e feio.

Erraram porque quiseram entrar em assuntos de civis, da administração miúda; porque se esqueceram de que missão de militar é salvar a pátria de inimigos existentes, e não de ameaças invisíveis; porque abrigaram os corruptos de sempre em suas asas, enquanto puniam as poucas cabeças capazes de comandar o pais pelo carisma.

Mas erraram, sobretudo, porque ninguém além das Forças Armadas tinham poder para fazer uma revolução comunista naquele momento; se houvesse em 64 um grupo soviético incrustado entre os militares podia ter acontecido de tudo, inclusive uma guerra civil.

Contudo, eles, os militares, eram um grupo coeso.

Anticomunista. Quase fascista. Mas coeso: e por isso – somente por isso – o Brasil não é uma Cuba.

Embora, convenhamos, por um caro preço: o de violentar uma Nação por vinte anos, a troco de uma ameaça inexistente.

Essa é apenas uma teoria, de muitas que poderiam aparecer, mas gostaria da sua opinião: o Brasil realmente corria riscos de uma ditadura comunista em 64?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seus comentários AQUI.

Para pensar - Escrito por Isadora M., Kellyn, Grazi e Juliana em Julietário. (via adesejar)

Busco liberdade. Duas palavras que conseguem descrever meus dias. Simples não? A parte complicada é encontrar essa tal liberdade. Meus pensa...