Poesia

Resistência
Loucas são as horas
em que alguém te oferece
o beijo da morte,
e você resiste:
não, não, não, não, NÃO!!!
Loucos, insanos desejos,
que flutuam, lívidos,
e que ressoam no ar.
E você insiste:
não, não, não, não, não ...
Loucas,
furiosas são as loucuras da alma,
do pecado, luxúria, e mel.
E você: não, não, não ... não ...
Loucuras,
insanidades mil que te aguardam,
coisas que te fazem pedir perdão a Deus.
Ás vezes, em vão.
E ao longe,
murmúrios se ouvem,
das suas loucuras.

Numa imensa súplica,
respondida com o mantra,
que ecoa:
não ...

não ...

não ...

não ...

não, não, não ...

... não ...

... não, não ...

Não.
fps, 03/08/2011, 18:00

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conclusões sobre a Lei Seca

Poesia: Desespero da Arlequina

Dória prefeito: a vitória do que São Paulo é sobre o que ela deveria ser