Poesia




confesso

depois de tanta raiva,

quero paz.


paz no coração.


paz entre mim e os homens.

paz entre todos os seres.

paz entre nós e os outros.

quero paz.


ainda que esteja, no fundo,
me preparando para a guerra que vem por aí.


fps, 04/10/2010, 20:24

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conclusões sobre a Lei Seca

Poesia: Desespero da Arlequina

Porque as Igrejas não discutem o que acontece na sociedade? Mais ainda: será que salgamos o mundo como deveríamos?