Prosa: Vida, real. Na real.

Deixe-me dizer uma coisa, meu chapa: o mundo está pouco se lixando para sua tese de doutorado sobre as foquinhas verdes da Antártida. 

Ninguém quer saber da sua opinião sobre o governo Temer, ou sobre as suas experiências sobre sexo tântrico (que, aliás, nem deveriam ser ditas publicamente). Ninguém quer ver pela milésima vez sua foto na Disney abraçando o Mickey, ou seu olhar de satisfação orgásmica no momento em que você desceu o KY (ou seria K2? Ah, dane-se, é tudo pico mesmo...).

Ninguém quer ouvir sua explicação profunda sobre o "eu". Aliás, ninguém quer ficar escutando sua auto-bajulação ensimesmada.

Mas... ah... todo mundo quer ver o sorriso de uma criança.

Talvez porque ela é espontânea em sua risada, talvez porque seja gostoso se embebedar da sinceridade do olhar de um bebezinho.

Mas talvez - só talvez - porque não é falsa, nem mesquinha.

Abs, flw, vlw. Ciao.

fps, 31/07, 14:48

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conclusões sobre a Lei Seca

Poesia: Desespero da Arlequina

Porque as Igrejas não discutem o que acontece na sociedade? Mais ainda: será que salgamos o mundo como deveríamos?