Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2005

Curiosidades da Idade Média

Um email velho, guardado num canto, pode revelar muita coisa interessante - vejam o que eu achei nos meus arquivos antigos, sobre a Idade Média: "Naquele tempo a maioria casava-se no mês de junho (início do verão, para eles), porque, como tomavam o primeiro banho do ano em maio, em junho o cheiro ainda estava mais ou menos. Entretanto, como já começavam a exalar alguns "odores", as noivas tinham o costume de carregar buquês de flores junto ao corpo, para disfarçar. Daí termos em maio o "mês das noivas" e a origem do buquê explicadas. Os banhos eram tomados numa única tina, enorme, cheia de água quente. O chefe da família tinha o privilégio do primeiro banho na água limpa.

Depois, sem trocar a água, vinham os outros homens da casa, por ordem de idade, as mulheres, também por idade e, por fim, as crianças. Os bebês eram os últimos a tomar banho. Quando chegava a vez deles, a água da tina já estava tão suja que era possível perder um bebê lá dentro. É …

Miniconto:

Conto sem fim ... e pensava "era grande o desafio, mas teria que vencê-lo um dia mesmo" - aquele que jamais pensava que poderia chegar, mas chegou. E olhava para si mesmo, sem pensar nem um instante no passado que vivera, porque o presente agora era cheio de novas experiências, que ele jamais imaginara sonhar para si; ... FPS, 18/07/05, 16:10

Religião da salada corporativa

Imagem
Coca nossa que estás conosco agora, dai-nos o direito à Pepsi de todo dia. Dai-nos o LG da Panasonic, e também a CG da Yamaha; não retirai-nos o Gol da Fiat, tampouco o Marea da Ford; concedei-nos de graça uma Shell, e, por bom preço, um XP. Afastai-nos do mal do Linux, e da porta de qualquer uma das Casas Bahia. Cedei-nos o Dolce & Gabanna, e também o Gucci fino, e o Prada, e retirai de nossa vida a quentinha, antes que se torne fria. Creio em vós, corporativo ser, que nos deste todo o dinheiro e o poder. Mas, se não nos deres, ceda-nos um empréstimo, que pagaremos, em suaves prestações, todos os dias, até o fim de nossas vidas. Que assim seja (ou não, dependendo das ações em bolsa). FPS, 15/07/2005, 15:44

Em tempos de crise, mensalões e que tais, vale a pena ver esse texto:

Vossa Excelência- Vossa Excelência deve saber o valor da confiança que o povo depositou em suas mãos. Deve compreender que o poder deve ser exercido como mandam as boas normas da democracia, criadas há mais de dois mil e quinhentos anos e adotadas por quase todo o mundo como princípios fundamentais da liberdade que tanto queremos para nós e nossos filhos, e que se resumem na noção de ser a democracia o governo do povo, para o povo e pelo povo !!!.Aplausos grandiosos enchem o salão nobre do Parlamento, e todos os olhares se dirigem, não ao preletor, considerado Defensor Perpétuo da Pátria e chefe de Estado único do País, mas a quem está sentado à sua direita, aquele que será o novo dirigente do País e que deverá suceder o preletor no comando da grande nação. Olhares de admiração contemplam o velho soberano, orgulhoso de suas virtudes e amado pelos seus, e outros tantos observam, calmamente, o futuro mandatário, que deverá ser tão querido e idolatrado quanto aquele que falava naquele mo…

Sobre o blog

Imagem
Tudo começou quando um rapaz que trabalhava na Escola Dominical de sua igreja foi desafiado por um presbítero (oficial leigo) a escrever uma devocional para o boletim da mesma; esse projeto de escritor (e que ainda se considera em projeto) escreveu não somente um, mas dois textos de fundo religioso, e uma pequena dissertação sobre as noções do amor próprias de quem tinha apenas 18 anos nas costas e muitos sonhos pela frente.

Tempos depois, desafiado por um colega nos primórdios das listas de discussão que pulavam internet brasileira afora, este mesmo rapaz saiu de um período sabático para reiniciar seu caminho percorrido pela escrita - e foi assim que se tornou um olho clínico expressando opiniões, pensamentos e conclusões e tentando aprimorar seu talento e mostrá-lo ao mundo que se abria diante dele; e que hoje apresenta aos que chegam a esse humilde local.

...

Tirando um pouco a parte póetica da coisa, foi um pouco com esse espírito que criei meu primeiro blog, chamado Olho Clínico (cl…
Delitos comuns III
Panorama de um relacionamento que já começa do final


- Ah, não, Marcelô, pára, eu não quero, pára!!!

Já devia ser a n-ésima vez naquele ano, e sempre com o mesmo "script": beijinho p´ra cá, beijinho p´ra lá, beijo mais ardente com a língua roçando, e mexendo, e quando nosso amigo Marcelo (esse era seu nome) ia baixando as mãos, procurando roçar-se em algo mais do que a parte das costas dela ... sempre a mesma coisa: um "Ah, não, Marcelô, pára, não faz isso, eu não quero, pára ...".

Na primeira vez, foi aquele escarcéu e ela quase foi às vias de fato jurando terminar tudo: era menina direita e donzela segurando suas honras para aquele que virá a ser seu companheiro eterno - sim, elas ainda existem, embora isso seja mais raro que encontrar um gaiato que acredite no governo de plantão. Quando isso acontece, tem sempre na outra ponta um moço triscando os dentes e procurando outra oportunidade para fazer suas safadezas e aproveitar as doçuras calientes do…