Poesia

Os caminhos da vida

 

Caminhamos,

durante toda a vida,

por vários lugares,

sem destino fixo,

a procura de nós mesmos

e de nossos destinos.

 

Lugares

que podem ser escuros,

perigosos,

cheios de pedras e espinhos,

onde se espelham morte e destruição;

 

mas que também podem ser

lugares lindos,

de força exuberante

e beleza pulsante,

onde a vida se reproduz

em todas as formas

e com todo seu esplendor.

 

Assim, às vezes, me pergunto:

 

Que outros lugares ainda verei ?

 

Por que provações ainda passarei ?

 

Que outras pessoas,

nessa vida indigna,

ainda verei,

e assim, viverei ?

 

Será impossível

apossar-se da vida

e dela ser rei ?

 

Com certeza, não sei.

 

Só o que sei

é que não acredito

em imagens escuras

bem fabricadas,

sem nenhum sentido,

ou no sentimento vazio

de apostar no escuro

e não saber o que veio

ou mesmo o que virá.

 

Acredito, isso sim,

que eu construo as imagens

do meu próprio futuro.

 

Acredito, também,

na vida de hoje,

que é nela que eu luto,

pois assim,

sem perceber,

sem deixar me abater,

sem parar de crescer,

vou vivendo,

a cada dia,

mais e mais.

 

Pois no meu mundo sempre haverá lugar

para aqueles que quero bem.

 

E é por isso

que posso seguir qualquer caminho

que estou feliz.

 

Pois, onde quer que eu ande, lá você estará.

 

FPS, 05/12/1995, 19:10

Comentários

Postar um comentário

Faça seus comentários AQUI.

Postagens mais visitadas deste blog

Conclusões sobre a Lei Seca

Poesia: Desespero da Arlequina

Porque as Igrejas não discutem o que acontece na sociedade? Mais ainda: será que salgamos o mundo como deveríamos?