Prosa

São Paulo ... ah, que merda!

Só estou te escrevendo para que esqueça a última carta; não consigo mais dormir desde que a mandei.

Não posso fechar essa chaga, não consigo, e ponto; depois te explico, mas decidi que não dá.

Não consigo deixar de ser eu mesma; você me perdoa?

Beijos mil,

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conclusões sobre a Lei Seca

Poesia: Desespero da Arlequina

Dória prefeito: a vitória do que São Paulo é sobre o que ela deveria ser