Poesia: minissaia, liberdade e virtú

 
 
saiacurta
 
sua saia curta
é uma declaração de liberdade.
 
mas liberdade contra o quê?
 
contra meu desejo,
de te oprimir e ser mulher?
 
que desejo, diria eu?
 
meu desejo não é te oprimir,
ó linda dama do femen.
 
até porque sei que você
quase nunca anda de minissaia.
 
quer dizer,
só quando quer, com justiça, defender o "ser mulher".
 
nessas marchas de vadias
que vocês, feministas, não são.
 
porque uma mulher que se respeita
transparece nas ações o que é.
 
e não precisa de pernas,
ou de vagina, ou útero livre,
para ser alguma coisa.
 
até porque só dementes
olham para as pernas de uma mulher
e pensam coisas indecentes.
 
isso quando pensam.
isso quando não agem.
 
 
 
 
 
sua saia curta te deixa mais livre?
pena.
 
a mulher virtuosa é valorizada
não pelo tamanho da sua saia
mas pelo conteúdo da sua atitude.
 
fps, 01/02/2013, 14:23

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conclusões sobre a Lei Seca

Poesia: Desespero da Arlequina

Porque as Igrejas não discutem o que acontece na sociedade? Mais ainda: será que salgamos o mundo como deveríamos?