11.11.05

Boas reflexões de sexta-feira ...

O mundo animal

 

                Existe uma variada gama de animais que os zoólogos sempre procuram estudar, ávidos de informações sobre seu comportamento, reprodução, alimentação e hábitos de organização. Se agem em bandos ou sozinhos, se caçam, pescam ou comem frutos, se tem pelos ou penas, e por aí vai, demonstrando que o homem adora conhecer os bichos, e entender porque agem assim, ou como.

 

                Embora não seja zoólogo e o máximo que eu conheço de animais é chegar perto do cachorro do vizinho ou da gata da secretária, devo dizer que certos animais me fascinam muito, principalmente no campo dos répteis e anfíbios, que são, na minha humilde opinião, animais desprezados pela maioria das pessoas mas capazes de proezas fascinantes, e de métodos de organização e trabalho exuberantes, dependendo da forma como “pensam” e “sentem” o que está ao seu redor. Vejamos, agora, alguns destes injustiçados animais que a natureza humana renegou a um segundo plano, mas que valem muito para o equilíbrio de nossa natureza.

 

...

 

                Cobra: um animal de hábitos noturnos e solitários, tem seu maior poder nas presas, que destilam veneno mortal, capaz de matar em minutos. É capaz de ficar horas esperando sua presa, mas dá um bote rápido e destruidor, que garante seu sustento por muitos dias, e satisfaz suas condições até a chegada de outro infeliz que caia em suas garras, digo, bocas. Quando não tem veneno, mata por estrangulamento - caso da conhecida sucuri; no entanto, tem que arrastar-se para chegar ao seu “objetivo”, e não é imune à obstáculos naturais, muito pelo contrário, pois não tem pernas para ultrapassá-los.

 

...

 

                Mangusto: animal ignóbil, um pouco menor que a cobra, se arrasta igualmente a procura de sua presa, não tendo forças suficientes para passar das primeiras barreiras em seu caminho. Tem, no entanto, uma característica interessante: é imune ao veneno das cobras, que se tornaram seu principal alimento ao redor dos tempos. No entanto, falta-lhes, muitas vezes, a característica de força que suas companheiras tem, condenando-os a ser relegados a um modesto segundo plano.

 

...

 

                Lagarto: caracterizado pela lentidão, é o único dos animais relacionados que possui facilidade para transpor obstáculos, graças à sua “força física” e às suas pernas, que são semelhantes às do companheiro jacaré, mas maiores e mais fortes. Ataca, geralmente, com força, podendo destruir até mesmo seres humanos, muito maiores do que ele. Tem contra si o fato de estar relacionado à péssima “inteligência”, não sendo muito adequado para algo mais do que o uso da sua enorme energia.

 

...

 

                Camaleão: animal que tem a grande característica de mudar de cor para enganar o “inimigo”, costuma alimentar-se de pequenos insetos, o que demonstra sua falta de força para algo mais do que isso. É, no entanto, difícil de “pegar-se”, pelos seus conhecimentos de camuflagem e por sua pequena estatura. Considero-o interessante, em um posterior estudo, mas não mais do que isso.

 

...

 

                Tartaruga: animal que impressiona pela sua carapuça forte, e também por sua lentidão ao locomover-se. No entanto, é decidido em seu ritmo, e consegue as coisas pela persistência e determinação com que alcança seus objetivos, apesar de poucos. Fascinante - para quem gosta ...

 

...

 

                Sapo: ataca quando menos se espera, e possui veneno cegante - no caso das suas “co-irmãs” pererecas - e salta com agilidade. No entanto, é frágil tecnicamente quando atacado pelas cobras e lagartos que pulam em seu dia-a-dia, podendo ser abatido facilmente por um deles - quando o querem, é claro.

 

...

 

                Crocodilo: extremamente forte, embora não tão ágil, e temido por todos os outros, graças à sua enorme carapaça. Tem, no entanto, um problema: olhos muito sensíveis à luz, o que torna extremamente fácil sua captura e destruição - bolsas e malas que o digam, nas lojas chiques de Paris ...

 

...

 

                Todos esses animais tem características e forças especiais: agilidade, veneno, força física, proteção, imunidade. Também tem seus defeitos: fragilidade, fadigas, fraquezas que só podem ser vistas depois de muito tempo. Todos são fortes, mas também são fracos. Para vencer em sua vida, usam de muitos expedientes, e para escapar do inimigo, também. Aliar suas forças e minimizar suas fraquezas é muito mais do que um caminho para o “sucesso”: é uma necessidade para eles, de vida e sobrevivência, para crescer ou escapar da morte, e para vencer.

 

                O mundo animal pode nos ensinar ainda muito mais; basta que observemos e sintamos tudo isso, como animais que somos.

 

                Sendo racionais ... ou não.

 

 

(em 11/11/1995, sob o pseudônimo de Omar O. Sirep)


P. S.: Caramba, como a vida é insana - um texto escrito há exatamente 10 anos (e numa sexta !!!).

Um comentário:

  1. Anonymous7:27 PM

    How to inspire innovation within your company
    Just saw this small list over on Toby Bloomberg's blog offering " tips for creating innovation " within an organization.
    Hi, I was just blog surfing and found you! If you are interested, go see my children related site. It is special to me and you may still find something of interest.

    ResponderExcluir

Faça seus comentários AQUI.

Para pensar - Ligados pelo Amor. (via introspectou)

Nunca me divirto com nada. Estou sempre esperando pelo que vem depois. Acho que todos são assim. Vivem de forma rápida, sem aproveitar o mom...