Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2007

Uma perfeita análise do caso João Hélio

Luis Nassif, sempre soberbo, analisa o caso João Hélio na profundidade que essa tragédia requer - aliás, vale a pena ler as análises DEPOIS da roda dos crimes ter girado, e que podemos pensar um pouco mais friamente sobre o que acontece no nosso cotidiano.

Clique no título ou no link abaixo para ver o comentário:

http://z001.ig.com.br/ig/04/39/946471/blig/luisnassif/2007_02.html#post_18775696

Agora eu gostei ...

Novo template, nova postagem ... o que mais devo fazer para que esse blog seja campeão de audiência? rs ...

A educação no Brasil vale realmente um C- ?

Passou batido, mas o resultado médio do ENEM, mais que um atestado preocupante da educação brasileira, é mais uma prova de como funciona a cultura brasileira, tão dada a jeitinhos quanto ao esforço mínimo para se fazer qualquer coisa da qual não se gosta. O motivo é a média do exame - 4,7 em uma escala de 0 a 10. Essa é uma nota emblemática, considerando-se que: a média mínima para passar na maioria das escolas públicas brasileiras é 5; nas particulares, embora a média em geral seja maior (6 ou 7), essa é a nota mínima para a recuperação. Um estudante que tira uma média de 4,7 num exame, portanto, estaria diante do difícil dilema - ele 'quase' passou de ano, ou 'quase' foi para a recuperação, ou 'quase' conseguiu o mínimo necessário para alcançar o objetivo final; esse aluno fatalmente vai chorar as pitangas para o professor, que, diante de uma avaliação subjetiva, vai dar um pequeno trabalho, realocar uma prova ou mesmo dar meio ou um ponto a m…

Poesia

Imagem
prisão inconsciente

às vezes
me meto nessa prisão,
inconscientemente,
esperando respostas da vida
que nunca vem.

são tempos
que vem de forma consciente
e vão de forma inconsequente.

são formas,
formatos de mulheres inimigas
e homens vazios,
de pessoas sem sentido,
de medos, de critérios.

sou uma pessoa
presa a um vazio
do que não sou.

na verdade,
apenas sou eu
que não sei ainda
quem serei no futuro.

futuro?

a deus, somente a glória.
FPS, 13/02/2007, 10:25

Polêmicas, polêmicas, polêmicas ...

... não custa nada recolocar um texto bem antigo que resume toda essa onda (com a diferença de que estamos cada vez mais agressivos, seja da turma de bem, seja da turma do bem): A roda dos crimes que abalam o país Tudo começa numa nota de pé de página, num jornal de grande circulação, tipo "empresário é assassinado misteriosamente", ou "fulano se encontra desaparecido", ou "famoso encontrado morto na porta de sua casa"; nada de mais, apenas uma nota sobre uma suspeita de um crime ou um crime que, a princípio, pareceria corriqueiro. Depois, as notícias que dão o choque: o empresário assassinado fora barbaramente torturado até a morte por traficantes de drogas adolescentes, ou o corpo de fulano é encontrado dilacerado por ordens do próprio filho, ou o famoso é morto por alguém que se desejava invejoso e firmara um pacto de morte com a própria mãe para executar o crime. Mais notícias: o empresário era um senhor benevolente que dava emprego a cerca d…

João Hélio e - mais uma vez - a redução da maioridade penal

Mais um crime hediondo no país, e novamente a roda e a roda dos crimes que assolam nossas consciências se torna mais forte, e em cima de duas medidas, uma velha e uma nova, que são apontadas todos os dias para se resolver crimes que não tem muita solução. A primeira, a da maioridade penal, vem a calhar para os que se identificam com os filhos das vítimas mas desconhecem que a Lei é para todos, sem exceção (ou deveria ser, pelo menos); a segunda, a da autonomia penal, é a novidade lançada pelos que desconhecem que não é só de Código Penal que se vive nesse país, mas também de Código Civil, Comercial, CLT e outras tantas - que, estranhamente, ninguém quer estadualizar para não dar ônus aos Estados da Federação. Particularmente, sou favorável à redução da maioridade - não só da penal: afinal de contas, quem é que não quer dirigir, casar, trabalhar, prestar concurso e tantas outras coisas que só os maiores de idade poderiam ter? E quanto a autonomia, também sou a favor - mas nã…