Poesia




Morto o cínico, ficam os rancorosos.

Os nervosos,
os exaltados.

Os irados.

 E o mundo se enche.
De idealistas.

Mas se esvazia de sinceros.

Morto é o cínico.
Ficamos nós.

Menos real.
Mais ilusão.

Num mundo que,
no fundo,
é só, e somente

pó.

fps, 28/03/12

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conclusões sobre a Lei Seca

Poesia: Desespero da Arlequina

Dória prefeito: a vitória do que São Paulo é sobre o que ela deveria ser