30.9.13

Poesia

trashetc2
 
cantigas de tempos antigos
 
o quadrado de hoje
já foi o círculo de ontem
e a roda, do passado.
 
a quadratura do triângulo do vértice cateto não faz a mínima diferença.
 
escravos de jó
jogavam caxangá
e a gente nem tinha idéia
do sentido dessas palavras.
 
ciranda, cirandinha,
vamos todos dar as mãos
 
e rodar …
… rodar ...
… rodar ...
… rodar ...
… rodar ...
 
 
fps, 23/08, 00:25

24.9.13

Poesia


Fragmentos de uma viagem pelos meus sonhos mais ocultos e obscenos

 
viajo ...
 
vida, luta, sonho,
sem sentido.
 
mesmice ...
 
sentimento minúsculo,
VONTADE MAIÚSCULA.
 
viajo
na montanha-russa
dos sentidos,
 
viajo
pensando pouco
e muito sentindo,
 
viajo ...
 
viajo
por teu ser descabelado,
teu entorno destroçado.
 
viajo.
 
não percebo,
meu minúsculo sentido,
de sussurrar,
GRITAR !!!
 
viajo ...
 
por teu âmago,
ânsia do desconhecido,
do sonho, do fogo,
 
do risco.
 
viajo ...
 
sem cessar ...
 
viajo ...
 

fps, 30/10/03, 15:33

21.9.13

O filósofo e o "padrão FIFA"

Conheci o filósofo há muito tempo. 

Parecia bêbado, mas sóbrio estava, tomando da sua cerveja enquanto, na rua, o mundo andava; meio maltrapilho, com um terno surrado, ficava sempre no mesmo lugar, olhando o mundo.

Uns diziam que ele advogado, outros, professor nas horas vagas - especulações, já que ninguém sabia de onde vinha, nem para onde ia. Alguns criam ser ele um mendigo, outros, um milionário excêntrico: mas como pagava, sempre, aquilo que tomava e comia, o dono do boteco nada lhe perguntava, já que "dinheiro é dinheiro", em qualquer situação.

...

Geralmente, ficava "na dele", o dito filósofo.

Mas, naquele dia, numa discussão acalorada, alguém citou os gastos com a Copa, e começou a falar do bendito "padrão FIFA", que tanto estava em discussão naqueles tempos de estádios caros e gastos excessivos, e nada de transporte, saúde ou educação.

Padrão FIFA vai, padrão FIFA vem, levanta-se o filósofo. Imponente, olhos faiscando.

Todos, no bar, que passavam desapercebidos, olham o cidadão, mais para lá do que para cá, esperando o discurso inevitável que volta e meia aparecia quando o dito cujo se inspirava.

...

E disse o filósofo:

"O padrão FIFA é o padrão shopping, padrão centro de convenções, padrão salão do automóvel e outras convenções do tipo, feitas para durar poucos dias e dar rios de dinheiro aos seus organizadores, e uns bons trocados ao resto da equipe.

Hospitais padrão FIFA são aquelas maternidades cheias de badulaques e fofoletes para as crianças, mas que não são capazes de cuidar da mãe quando ela está entre a vida e a morte. 

Escolas padrão FIFA são aquelas que fazem do seu filho um expert em passar no vestibular, mas que não estão nem aí para formar um cidadão consciente e digno.

Se é para querer uma meta, quero que nossos hospitais sejam como a Rede Sarah ou o INCOR, com médicos de família cubanos ou brasileiros e postos de saúde bem equipados atendendo bem a quem precisa. 

Quero escolas como nossos IFET´s e Colégios Militares, ou as ETEC´s e FATEC´s de São Paulo ou os CIEP´s do Brizola, com professores primários e secundários qualificados recebendo dignamente o mesmo que seus pares do ensino superior, e sem precisar envolver dinheiro do pré-sal, pois já investimos muita grana do Brasil nisso.

Padrão FIFA é bom, é bonito, mas serve para eventos, não para um Brasil que precisa de efetividade nos serviços, não do 'bonitinho mas ordinário'."

E, antes de se recolher ao mutismo, encerrou a questão:

"Ah, e quero esses estádios padrão FIFA privatizados depois da Copa ... cuidar deles é mais caro que construí-los, se vocês não sabem disso."

16.9.13

Poesia




confesso

depois de tanta raiva,

quero paz.


paz no coração.


paz entre mim e os homens.

paz entre todos os seres.

paz entre nós e os outros.

quero paz.


ainda que esteja, no fundo,
me preparando para a guerra que vem por aí.


fps, 04/10/2010, 20:24

6.9.13

Poesia (ou seria reflexão?)

estou ficando mais velho, ou menos jovem?

porque envelhecer
não é perder o viço da mocidade.

envelhecer é tomar posse do que se é.

e como podemos ensinar o que é ser jovem
se nem sabemos como manter a nossa juventude?

fps, 10/12/2012, 02:00

3.9.13

2004 ... uma prosa ...


Flashes de São Paulo

 
São Paulo é uma cidade fascinante - aliás, várias são as cidades que a compõem. 

São Paulo, cidade de tantos rostos e que "não pode parar", como já dizia o ditado (se bem que determinado prefeito disse que ela tem que parar, o que não deixa de ser verdadeiro).
 
Não se pode descrever a cidade, entretanto, sem lembrar que ela sempre teve vocação para lugar de trabalho e de negócios, desde os tempos em que era um simples entreposto comercial e que D. Pedro I vinha aqui resolver suas pendências com a Marquesa de Santos, na casinha que ele mantinha por aqui e que hoje é a última vista que poderia ter, e que nos tempos republicanos atende pelo agradável nome de Museu do Ipiranga, pertinho do caminho para a praia.
 
...
 
Sobre o museu: certa vez quando criança me desviei do grupo que estava na praça e fui parar dentro do mausoléu de D. Pedro e de sua esposa - deu um medo ...
 
Nem quando ia à "cidade" (nome que os caipiras e seus filhos dão ao centro velho) foi desse jeito: eu, perdido, e dois esqueletos do meu lado, vixe!!!
 
...
 
O Centro, ah, o centro; de tantas histórias e tantas andanças, e tantos perigos também  ...

...
 
O Centro velho de São Paulo padece de um grave problema: em poucos minutos se sai de uma região segura e se cai próximo do mundo cão. 

Não é uma coisa de se espantar, já que isso ocorre em todas as partes da cidade - mas a população em geral (e a classe média em particular) não gosta muito de ver suas feridas expostas a céu aberto, e tem profundo horror ao que não seja adaptável às suas necessidades, motivo pelo qual tantos prédios tombados jazem abandonados ao desuso, condenados à morte por um Condephaat bem intencionado mas mal sintonizado com as necessidades do povo.
 
De tal forma que o Centro acaba se tornando a verdadeira zorra total de dia e o deserto dos povos de noite dos gatos que não são pardos, divididos pela influência das zonas em que circundam seus diversos povos: camelôs e sacoleiras na 25 e na Sta. Ifigênia, gays no Largo do Arouche e na Frei Caneca, as agências de turismo da São Luis e os japoneses das lojinhas da Liberdade, estudantes do Mackenzie e da Anhembi Morumbi, funcionários públicos pra tudo quanto é canto e gente, gente que corre de um lado pro outro, sem que se saiba de onde vêm, nem para onde vão.
 
...
 
A periferia de São Paulo é marcada por certos contrastes: bairros que se desenvolveram ao redor das indústrias vão evoluindo, e os mais pobres seguem para mais longe, até o momento em que se tornam mais ricos e os pobres seguem para mais longe; ocasionalmente bolhas de prosperidade se formam em lugares afastados, mas é fácil saber onde se tem dinheiro e onde não tem: basta ver se o vigia está lá, e pronto! aqui tem dinheiro.
 
É interessante notar que, nesse caso, os mares de morros paulistanos acabam gerando uma cidade em que é difícil se locomover no dia-a-dia sem ajuda de um carro, ou mesmo de ônibus, se for o caso: os maiores entraves aos "dias sem carro" em São Paulo são justamente as ladeiras e subidas, que forçam qualquer um que tente andar à pé na cidade continuamente a ter um bom fôlego se quiser viver por aqui.
 
E o mais engraçado é que os de posses correm nos parques, mas se saírem a 5 minutos de casa, vão precisar do carro ...

Pode?
 
...
 
Pode, assim como pode você andar meia cidade só para ir no barzinho da Vila Olímpia porque é chique e a Zona Leste é o fim do mundo para os descolados de plantão.
 
Se bem que em Moema é que tem boate, não no Anália Franco que é pertinho da minha casa (e viva Marlene Matheus, não sou do Timão mas "zê ele" eu sou ...).
 
...
 
Flashes, imagens e paisagens que se desenham - quem sabe eu escreva mais sobre isso, e por isso é que não deixo um fim definido. Mas não me esqueço do que meu pai dizia, quando se falava que apesar da melhor distribuição de renda regional a nossa Sampa tem ainda 33% da renda nacional:
 
"É, meu filho, São Paulo é lugar pra se ganhar dinheiro ...".
 
Pois é, pai, você é um sábio, mesmo.

fps, 16/01/04, 11:24

Para pensar - Peter Pan. (via romantizado)

Ela me disse que amar era sofrer, e eu olhei pra ela e disse que sofreria por ela. Peter Pan. (via romantizado) http://ift.tt/2j028rt via ...