27.9.09

Oração



“Senhor Deus,
criador dos céus, da terra
e de tudo o que neles há,
sabes da minha vida
melhor do que até mesmo eu.

Compreendes meus erros,
orientas meu caminho
e me fazes ser um grande homem.

No entanto, Senhor,
dúvidas me vêm a mente,
dia após dia,
sem cessar.

Meu coração está dolorido,
inconsolável,
por tudo aquilo que fazem contra mim.

Já não sou mais aquele que era antes.

Estou junto dos que estão junto de ti.

Mesmo assim,
me caluniam,
difamam o meu nome,
me ridicularizam dia a dia.

Não sei mais o que fazer, Senhor.

Não te peço vingança,
pois sei que,
apesar de tua ira ser muito forte,
és tardio em irar-se
e sua misericórdia é por demais infinita.

Peço-te, apenas, Senhor,
que eles possam, um dia,
por a mão na consciência
para reparar seus erros,
ou pagar por eles.

Pois, Senhor,
apesar de não acreditarem,
os justos ainda existem no mundo,
e o que o mundo mais necessita
é saciar a sede de justiça,
justiça essa que só tu sabes qual é.

Esteja conosco, Senhor.

Amém”

23.9.09

Prosa

O mistério do casamento

Era um momento feliz.

E eu estava lá, desfrutando de todos aqueles instantes que aguardavam aquele casamento, e tudo o que girava em redor deles.

O que tinha de tão especial aquele casamento ?

Era, simplesmente, o fim de uma longa época de sofrimentos do noivo e da noiva, em busca de sua felicidade, que terminava ali - ou começava, já que um casamento não é nem o início nem o fim de um relacionamento, apenas é um marco na vida das pessoas que estavam por lá.

No entanto, alguma coisa acontecia de especial, e vou lhes contar isso baseado no que vi e senti.

O noivo, sorridente, embora nervoso, parecia estranho.

Sentia em seu peito o coração pulsando, mais e mais, como se fosse o último momento de sua vida.

Vivia cada momento que o separava do grande acontecimento do dia.

Já uma das madrinhas parecia cansada, esperando apenas o momento de tudo aquilo terminar para voltar para casa, e viver a sua vidinha de sempre.

Um dos padrinhos, grande amigo do noivo, pensava na festa e na alegria que toda aquela situação proporcionava a todos. Estava, sem dúvida, muito feliz - embora duvidasse um pouco dos objetivos daquele casamento, pois alguma coisa nele o impedia de falar à noiva o que realmente sentia sobre tudo aquilo.

Entra a noiva.

Uma linda música é tocada pelo órgão, “Jesus Alegria dos Homens”, música doce e suave, para momentos sublimes, como aquele onde eu estava.

Vejo uma pessoa assistindo o casamento, que está começando, por um “espelho” perto do altar.

Parece que tem os sentimentos soltos no ar, como se estivesse pensando no noivo, na noiva - sei lá! Talvez estivesse pensando em muitas outras coisas, mas não tenho o sentido do que ela pensa, e logo esqueço tudo aquilo, passando a pensar somente no casamento que viria.

Ah, já ia me esquecendo da noiva.

Olhando para ela, via um sentimento forte, não sei se felicidade ou vitória, e um sorriso, típico de quem está tendo uma satisfação em estar lá. Mais não posso dizer, porque o casamento prossegue, e é melhor não perder de vista tudo aquilo que se passa no local.

As alianças, colocadas nos dedos, indicam o compromisso do casamento, agora selado; está tudo consumado de vez, penso eu.

E é nesse momento, perto do fim da celebração, que sinto alguma coisa acontecendo perto do altar, e fixo meu olhar ao redor daquele local.

E então, algo muito interessante acontece, algo que me permitiria compreender melhor o que acontecia: por uma das portas que dá acesso ao púlpito vejo alguém chorando, sabe-se lá de alegria, ou felicidade, ou tristeza, ou choro mesmo do casamento.

E nesse momento sinto que alguma coisa parece estranha no ar daquela igreja.

Quem seria o noivo ? Quem seria a noiva ? Quem estava assistindo o casamento ? Quem era o padrinho ? Quem era a madrinha ? No que pensavam todos eles, naquele momento - se é que pensavam em alguma coisa que servisse ?

Quem estava chorando lá atrás, sabe-se lá porque ? E por que chorava ? E, principalmente: o que eu fazia lá, e onde eu estava, dentro da igreja ? Poderia ser qualquer um deles, ou estar longe ...

E, se fosse o noivo, quem seria a noiva ? Se fosse o padrinho, quem seria o noivo ? Se fosse a pessoa que chorava, porque eu estaria lá ? E se eu não fosse nenhum deles, ou todos eles, ou ninguém ?

Essas perguntas talvez não possam ser respondidas por ninguém.

Talvez tenha sido tudo um delírio da minha mente, acostumada a tudo isso.

Talvez tudo isso seja uma verdade, que aconteceu ou vai acontecer nas nossas vidas, algum dia.

Talvez isso não passe de besteiras de um doido varrido, acostumado a brincar com a vida da mesma forma com que brinca com as palavras.

De qualquer forma, deixo a resposta a cargo de vocês, meus queridos leitores, para que possam aliviar meu coração, e solucionar esse mistério.

Mistério que será solucionado, um dia.

Ou será que não?

fps, 01/09, 19:48

22.9.09

Mais uma edição do "Dia sem carro" ...

... e mais uma vez a mesma retórica aparece: promessas de ciclovias e vias públicas para pedestres, a televisão fazendo matérias à pé pela cidade e ativistas reclamando (com razão) que pouca coisa é feita para a construção de uma cidade mais sustentável.
 
No entanto, ninguém ainda me explicou como é que realmente se pode criar uma cidade sustentável se não conseguimos torná-la mais prática para o dia-a-dia, já que não conseguimos nem criar um sistema de transporte que seja eficiente para que a população de todas as classes e tipos o utilize, muito menos mudar a mentalidade da população para que ela aceite essa integração, ainda que à força.
 
Ou será que nem a força vai adiantar, vide decisão dos fretados em São Paulo?

20.9.09

Prosa

A primeira carta
“São Paulo, 7 de setembro de 1.995.
Querido amigo, quantas saudades !
Às vezes penso que é como se o mundo acabasse. Sinto como se a minha vida fosse uma grande ilusão - sim, uma grande ilusão, feita de sonhos e desejos cuja vontade é infinita, mas irrealizável, que vive pela pessoa amada e que nela é realizada, que está longe dela pensando em estar perto, que é essa poderosa dor tão gostosa chamada amor.
Será que ele me ama?
Acredito do fundo do meu ser que sim - ele é dócil, bonito e dono de um olhar irresistível, mas também acho que ele pode ser rude e insensível às vezes.
Oh, meu doce amigo, meu sonho, minha ilusão, venha logo me amar de uma vez e esquecer o tempo que já passou! Dá-me as forças para perceber que meu sonho pode ser real, que nada pode me separar de ti, e que o amor sempre poderá ser eterno, sempre, sempre, sempre ...
Digo ... 
Por que será que o amor é tão difícil de ser alcançado ? Por que vivemos tanto, tanto tempo de um tal jeito que ninguém sabe porque, nem como sente, para depois nos desiludirmos e sentirmos a vida perder o sentido ...
... por tão pouco ?
Sinceramente, hoje estou tão sofrida que nada poderia me animar.
Um beijo?
Talvez, desde que fosse da pessoa amada, que está longe.
Sei que haverão problemas, e que serão muitos.
Mas, enquanto isso, vou vivendo minha vida querendo reconquistar a felicidade, esse todo feito de partes tão unidas em conjunto quanto separadas em sua essência.
Beijos."

19.9.09

Panorâmica das conversas ao telefone

Panorâmica das conversas ao telefone
 
- Pronto.
 
- Oooooooiiiiii-mor-zin ....
 
Você já sabe - vai demorar ...
 
- Oi, querida. Tudo bem?
 
- Ai-querido-você-não-sabe-o-que-me-aconteceu-hoje ...
 
Xi ... vai demorar mesmo ...
 
- Ótimo que seja assim, meu anjo - fala então o que é que ...
 
- Ai-querido-foi-a-Mariane. A-gente-tava-no-serviço-fazendo-mais-um-relatório-daqueles-malucos-que-a-chefe-SEMPRE-pede-quando-tem-problema-de-checagem-de-conta. Ai-ela-pediu-aquele-relatório-e-a-coitada-errou-TUDO !!! Você-nem-imagina:ela-com-cara-de-trouxa-e-a-gente-tendo-que-correr-para-ver-o-que-é-que-tava-errado-e-o-que-que-não-batia ... e-a-chefe-lá-SEMPRE-com-aquela-cara-amarrada ...
 
E assim segue pela próxima meia hora, com pausas para um "sim, querida", ou um "não, querida", e quando você, num lapso pequeno de tempo, boceja ...
 
- O que foi isso?
 
- Ah??? Nada, não, amor, é que ...
 
- EU SABIA!!! Você-não-estava-ouvindo-nada-do-que-eu-estava-falando-seu ... seu ... seu ... SEU INSENSÍVEL !!! BUAAAAAAA ....
 
E toca mais meia hora de "não, querida, não é isso, você se enganou" - e é nessas horas que você mostra que sabia alguma coisa do que ela falava mesmo, que a tal da Mariane era mesmo uma banana, que ela toca o serviço nas costas, que - sim !!! - você ama muito ela e coisa e tal e coisa e lousa e maripousa (como diria o antigo cronista), até que ela, finalmente, se acalma.
 
Dá uns quinze minutos e estamos perto do final dessa estória:
 
- Ah, querido, vou-desligar-agora ... mas-tô-cum-tanta-saudade-docê ...
 
- Ummm ... lindinha, vem cá cum seu nenezão ... (pausa para reflexão: porque todo homem age como bebê nessas horas? nunca entendi essa ...)
 
- Tá-bom-morê. Beijinhu ...
 
Ela desliga, do lado de lá.
 
E você, do lado de cá, suspira - e não sabe se é de alívio ou se é mesmo por causa de uma grande saudade ....

fábio peres da silva
28/08/02, 16:51

16.9.09

Prosa

  
O popular, o populista e o não tão “popular” assim
 
            Acordei hoje cheio de vontades para escrever um texto com esse título, mas o engraçado é que me faltou coragem, tato ou mesmo inspiração para introduzir esse assunto à vocês. Me perdoem o lapso, já que não sou tão popular entre as pessoas para poder ficar sem pedir desculpas por alguns minutos, mas é que esse assunto é um tanto quanto infeliz, até pela incapacidade que temos de discernir os gostos que as pessoas tem em comum, seres humanos diferentes que somos, em nossa imensidão de opiniões e gestos malucos do cotidiano que temos, todos os dias, em nossas humildes vidas.
 
            Mas o fato que temos é o seguinte: hoje, vivemos a era do profissionalismo cultural exagerado, no qual todo mundo quer fazer “arte” e dar-se bem com isso. Embora os conceitos de arte e cultura sejam diferentes para as gerações - e certamente o são - nos vem a cabeça a pergunta, tão cheia de sentido como vazia de respostas, incansável e fútil como os dias que se seguem, que é a seguinte: “porque não se faz cultura de bom gosto como antigamente ?”. Digo isso porque, ao ler um jornal ou revista, e chegar à parte cultural, sempre vejo gente bem conceituada desancando pessoas que, para eles, não fazem nada mais do que ganhar dinheiro - e muito - com o que fazem, e louvando obras de pessoas que, se perguntarem a maioria dos desinformados desse país quem são, levarão um sonoro: “quem ?” como resposta.
 
            O engraçado é que nós, os pobres mortais, é que ficamos com cara de “trouxas” e parecemos idiotas à medida que esses caras desandam críticas às tradições brasileiras, como Roberto Carlos, as novelas, o último disco dos Mamonas Assassinas e por aí vai, dizendo que um dia a casa cai, que brasileiro não tem cultura, que isso e aquilo são coisas babacas, dando a entender que são os donos da verdade, e que, um dia, as pessoas entenderão a verdadeira arte.
 
            E o público, o que faz ? Frase que responde a tudo isso: “para escolher um filme, basta ler o que um crítico de arte diz sobre ele. Se ele achar bom, não vai que é roubada; se ele desancar o negócio, vai fundo que é mó legal, oiai !”. E, descontados os erros propositais de português, é exatamente isso que se pensa sobre a arte: ela existe para agradar as pessoas, e faz com que todos nós nos sintamos bem.
 
            Defender ou criticar arte “torcendo” à favor ou contra é como criticar Rembrandt dizendo que ele vendeu a maior parte de seu talento à burgueses, ou que Michelangelo não quis chocar o Papa quando pintou uma Capela Sistina cheia de nus, sem falar em outros tantos que sacrificaram a arte em nome do dinheiro ou da própria vida. Arte, para mim e para a grande maioria que não entende nada além do palpável, sempre foi e sempre será aquilo que é palpável à sua realidade. Hoje, são uns, amanhã, serão outros, mas em todos os tempos o povo saberá distinguir muito bem o que é arte, o que é “arte” e o que não é nada, ou seja, o que é popular, populista e não tão popular assim - o que não é tão difícil como muitos imaginam, apenas não se sabe como explicar.
 
            Um dia, todos aqueles que fizeram arte serão respeitados, porque a verdadeira arte é popular - apesar dos museus não estarem lotados sempre. E nesse dia é que veremos quem está certo - eles ou nós. O resto é o resto, e, como eu sempre digo, se estou certo ou não, o tempo dirá.
 
 
fps, 02/02/96

P. S.: "A quantidade despreza a qualidade" (Monteiro Lobato)
 


13.9.09

Oração

“Santo Deus, grandioso pai,
cujo poder  se estende em todos os lugares da Terra,
invoco a ti para dizer-te
que sou um pecador.

Não sou digno de dirigir-me a Ti,
poderoso ser ao qual devo a Vida
e o privilégio de ser chamado teu filho.

Não sou capaz de viver  sem o vírus do pecado,
que nos torna incapazes de estar  plenamente
junto a Ti.

Não tenho forças para seguir meu caminho
se Tu não estiveres comigo.

Não tenho qualidades que se compare à tua força
e tuas capacidades enquanto ser superior.

Não tenho nada, enquanto tu possuis tudo.

Talvez tenha meu espírito, que de nada vale,
se não estiver junto de Ti.

Mesmo assim, diante de tudo isso,
ainda me atrevo a pedir.

Peço que tu guies meus passos, Senhor,
para não ir contra tua santa Palavra.

Peço-te ainda a sabedoria,
para lutar  em favor dos que necessitam de mim.

Peço-te a grandeza,
para estar ao lado dos que defendem o Bem.

E, se puder pedir mais ainda,
peço-te a felicidade,
que não se consegue facilmente nos dias de hoje.

Peço-te pelos meus amigos,
companheiros, colegas,
e mesmo por aqueles que não conheço.

Que eles possam escrever a sua estória de vida,
assim como eu estou escrevendo a minha.

Peço-te, finalmente, que tu estejas comigo,
sempre e sempre,
pelos  séculos dos séculos,

em nome de Jesus


Amém.”

11.9.09

Aviso aos navegantes: novela vem, novela vai ...

Do meu "exílio dourado" (de onde teclo agora), aproveito primeiro para mandar um abraço a todos os colegas do Boteco do Balaio, que estão se divertindo nesse momento, e dizer que estou muito feliz por vocês, e que só não estou (ou pude estar) aí porque o dever nos chama.

Na verdade já dou graças a Deus por poder blogar nesse momento, enquanto todo mundo na sala ao lado dá seus berros e choros com o final da novela das oito, nesse 11 de setembro que se encerra.

...
E, falando em novela, o que eu posso dizer é que "Caminho das Índias" repete o samba do crioulo doido de "América" e "O Clone", e também o sucesso meio inexplicável que todo caldeirão cultural de Gloria Perez faz, numa pizza meio cultura que não conhecemos (e que continuamos a não conhecer) meio gafieira carioca, temperada com conflitos característicos de todo folhetim do gênero.
Folhetim que na verdade continua a girar a roda da vida, essa que nos fará esquecer dessa novela tão logo subam os letreiros de "Fim".
...
Quanto a novela que chega, "Viver a Vida" será mais do mesmo de Manoel Carlos, ou seja, do mundo que começa no Leblon e termina na Barra e acaba sendo um conjunto de histórias de mulheres com alguma coisa em comum (dessa vez é a superação, mas já foram a família e os conflitos de idade).

Espere por mais do mesmo, só que temperado com um novo componente, chamado "histórias de superação": aguarde por mensagens positivas, exemplos de vida marcantes e estórias impressionantes que nos farão, ao menos por um momento, pensar que se essas pessoas conseguiram carregar sua cruz de maneira tão grandiosa nós também podemos carregar a nossa com um pouco mais de dignidade.

...
Enquanto teclo, alguém deve ter pensado: "mas porque você está blogando enquanto todo mundo assiste a novela?" - e a resposta é até simples: eu costumo acompanhar novela pelos roteiros, saber o que vai acontecer nos próximos capítulos antes de todos e prever a reação deste ou daquele personagem, pela Internet ou até pela TV.
Entretanto, quando vou assistir ao resultado do trabalho acontece uma coisa estranha comigo: aos meus olhos as novelas se tornam um produto tão previsível que eu não consigo ficar muito tempo perto da telinha; é mais ou menos como se tudo aquilo já tivesse perdido a graça, e eu me preocupasse mais com o estilo de contar a estória ou com as curiosidades que com o desfecho da novela em si.
Se isso me torna melhor, eu não sei - mas um dia eu chegarei ao ponto de adivinhar o destino de todos os personagens antes da trama começar; e aí, ou serei um Buda noveleiro, ou então estarei condenado a ser um eremita, blogando enquanto todo mundo se pergunta quem vai ficar com quem na sexta final.
...
Mais uma vez, abraços a todos, principalmente aos botequeiros; a gente se vê ... por aqui.

9.9.09

Poesia

Concreto e abstrato num beijo





concreto, abstrato,
fundindo-se, pois
quando é o momento,
quando há sentimento,

só aquilo vale,
só aquilo,
só.

mas,
que hora é essa
que chega,
de repente
e se instala?

a fazer olhar o infinito
e descrever movimentos,
gestos contínuos,
estórias sem nexo,
convexo?
concreto infinito,
num beijo informal.

namoro formal,
estória concreta,

fantástica, aberta;

fantasia.

real.

Beijo transcende,

explode no rosto,

se funde na boca,

delírio.
Beijo que acende,
que sente, que funde,
que inunda ...

... afunda,
num riso sem fim.

concreto, abstrato,
feio, bonito,
forte, fraco.

riso informal,
sorriso do mal.

Vitória do bem.



fps, 01/09, 18:50

6.9.09

Pois é, a cada ano isso sempre acontece ...

Nos meus 34 anos, desejo que aqueles que estão vindo a este blog tenham muitos anos mais por sua jornada nesse mundo; muitas felicidades, muita saúde, paz de espírito e força de vontade para encarar esse desafio maravilhoso chamado vida.
Que vocês possam ter, também, o tempo e a vontade para passar mais por aqui, deixar seus comentários e dar um pitaco atrás do outro; que muitos comentários apareçam por aqui, e que eu possa ter mais e mais inspiração e vontade de opinar, para dar a quem chegou agora um motivo a mais para estar aqui.
fps, 06/09/09

3.9.09

Aviso aos navegantes: em respeito às minhas sobrinhas adolescentes ...

... eu peço um minuto de silêncio para o aniversário de um ano do fim do RBD, a prova viva de que um raio pode cair várias vezes no mesmo lugar (quem não se lembra do Menudo e do NKOTB, vulgo New Kids on The Block?).
 
Neste post do Ideiafix tem mais sobre o assunto, seja pelo texto em si ou pelos comentários venenosos das miguxetes e miguxos; e não se espante, tem coisa pior do que isso, como pode comprovar a comoção do pessoal do relacionamento do casal do BBB9.
 
...
 
Aliás, agradeço ao Frank por ter incluído um link para o TrashEtc! no seu blog, assim como a Aliz, que modera o Boteco do Kotscho e ainda escreve com uma singeleza que fascina bastante, como se pode ver nesse texto, do TextoSentido, um dos cinco blogs que ela possui.
 
Tanto é que o TextoSentido entra na lista de blogs que é servida "a la carte" para os que aqui chegam, assim como o próprio Balaio e outros blogs, que irei comentando na medida do possível (e, droga, não é que eu acabei mesmo perdendo o Blog Day?).
 
...
 
Nem sempre as pessoas tem vindo aqui procurando somente por literatura: graças aos comentários sobre TV está chegando gente procurando por "playboy da Samambaia sozinha" e "juliana paes samanbaia", o que indica muito bem as intenções do fulano que aqui chegou.
 
Tem também gente que procura por textos sobre a infância, como esse aqui, dos tempos em que luta livre não tinha nada a ver com MMA; mas o que eu queria entender mesmo é como alguém procura por "plural de toner" e vem parar nessa história aqui, extraída da Folha de São Paulo e que nos faz perguntar se realmente nossos políticos conhecem mesmo de tecnologia.
 
O que, a julgar pela Lei de Internet que tentaram aprovar no Senado, já tem resposta: não.
 
...
 
O "aviso aos navegantes" é uma espécie de seção fixa do TrashEtc!, onde eu tento manter uma interatividade com o pessoal que acessa meu site e pergunto se está tudo bem, se quer um cafezinho, essas coisas que os anfitriões sempre fazem quando querem agradar quem chega em sua casa.
 
Se você gostou, comente; se não, comente assim mesmo - tem sempre alguém que lê, opina e está doido para ler o que você acha desse cruzamento do mundo, onde há um pouco de tudo e uma mente criativa e insana por trás de tudo isso.
 
Até mais, a gente se vê.

1.9.09

Essa é boa ... a unção de Kassab?

Especialmente para os petistas e evangélicos que acessam esse blog, um dos momentos mais patéticos das eleições de 2008, quando Gilberto Kassab se "converteu" na Igreja Comunhão Plena, durante a campanha:
Sem comentários ... passo a palavra para vocês para que me digam o que significa isso ...

Para pensar - Peter Pan. (via romantizado)

Ela me disse que amar era sofrer, e eu olhei pra ela e disse que sofreria por ela. Peter Pan. (via romantizado) http://ift.tt/2j028rt via ...