29.11.05

30 anos ou 30 dias: eis a questão !!!

 
O post acima conduz a um interessante ensaio do cientista político Murilo de Aragão a respeito do recente livro de Mailson da Nóbrega a respeito da economia desde os tempos da redemocratização brasileira. Mailson, para as gerações que não o conheceram, foi o ministro que conduziu a Fazenda no final do governo Sarney, que começou com a ''reinvenção'' econômica proposta por Celso Furtado e que acabou nos 80% de inflação que elegeram Collor e deram em outras loucuras, dignas dos anos 80 e 90 que só se resolveram com o plano Real.
 
Murilo, diga-se de passagem, realmente diz uma verdade consistente ao relatar que faltam líderes capazes para o Brasil, na medida em que ninguém até agora pensou em efetivar as benditas e malditas reformas que dariam substância ao nosso país para ''surfar'' positivamente nas ondas de crescimento em tempos de globalização e outros fenômenos do gênero.
 
Até aí nada de mais, um país com uma carga tributária pesadíssima e engessado em capacidade de investimentos é como uma empresa à beira da falência, ainda que estejamos investindo em áreas vitais como saúde e educação (embora de forma podre, como se vê por aí); o problema é quando se tenta dar soluções para essa crise de mesmice que assola a pátria tupiniquim na política, economia e em outras áreas do conhecimento em geral.
 
Faz falta a muitas pessoas um certo conhecimento do ''fator povo'', aquele que força os políticos e a sociedade intelectualizada a voltar-se de vez em quando para as necessidades do dia-a-dia ao invés de pensar num ''Brasil grande'' que nunca chega; nesse grupo está o esquerdista que ovaciona Chavez e Fidel Castro e aplaude Kirchner nos seus delírios populistas, esquecendo-se de que não existe almoço grátis e de que a conta chegará para uns e outros, mais cedo ou mais tarde.
 
Também faz parte desse grupo, no entanto, o liberal de carteirinha que pensa em Thatcher como modelo de governo, quando até as pedras de Stonehenge sabem que os governos liberais demoram a voltar justamente porque pensam mais em números que em pessoas - único problema que atinge a estratégia perfeita de governo do neoliberalismo, e motivo pelo qual FHC será sempre lembrado como um Campos Salles que arrumou a casa, mas nunca como um JK que a revolucionou.
 
E, antes que me esqueça: a comparação entre FHC e Campos Salles não é minha mas sim de ACM, que pode ser até um canalha mas não manda na Bahia há tantos anos por acaso: talvez porque o povo não pense nos próximos 30 anos, mas sim nos 30 dias de seu contracheque ... certo, bixim?
 
 

26.11.05

Dia Internacional de Luta contra a Violência contra a Mulher

Três escritores, colegas e amigos, o mesmo tema - e a mesma indignação: 25 de novembro já passou, mas não é por causa disso que devemos esquecer de quão indignos os homens podem ser quando passam dos limites, ou se acham detentores de limites que jamais teriam.

Que possamos lembrar sempre que não se bate em ninguém, muito menos no mais fraco, e muito menos por ele ser fraco - e que possamos nos indignar, lembrando que o maior poder ainda é o da atitude, e que é muito mais digno levantar-se contra o mal que temer o bem.



De amor

Na primeira, viu o brilho nos seus olhos. Pensou em desejo. Na segunda, sentiu uma dor fina e funda no ventre. Lembrou do prazer em seus braços. Na terceira, avistou a mancha rubra na camisa branca.Esvaziou-se de emoções. Na quarta, um frio súbito e o vinco na testa dele, toldaram-lhe a visão. Só quando, na quinta estocada, a faca penetrou tão fundo que lhe arranhou o coração, percebeu que morria de amor. De amor acabado. Pelas mãos cruéis do seu amor.


Márcia Maia




Falha Uhmana"

Treva e altura.
Eis que ergue-se - ante a cúria dos iguais,
uma humanidade em repúdio à igualdade.
Fúria bestial e bruta -, bradando aos quatro ventos
por liberdade:
— Sem cravos, sem Cruz, sem Luz!


(Sem cura).



Walter Ramos de Arruda



Impulsos,
podres,
acarciam e afagam,
querendo um gozo cruel.

Sangue,
maldito,
jorra em regras fedidas,cruentas, com gosto de fel.

Socos,
pontapés,
revelam a face hedionda
da falsa gente de bem.

Corpos,
mutilados,
são violentados na alma,
gerando os que nada mais tem.

Porque, então, não gritam por si?

Maldita tradição dos desalmados,
maldito seja o dia em que nasceram;
maldita a dor que causaram,
malditos eles,

Malditos todos nós.



FPS, 25/11/2005, 19:47.

25.11.05

Real x Virtual?!

''Entrei apressado e com muita fome no restaurante.
 
Escolhi uma mesa bem afastada do movimento, pois queria aproveitar os poucos minutos de que dispunha naquele dia atribulado, para comer e consertar alguns bug's de programação de um sistema que estava desenvolvendo, além de planejar minha viagem de férias que há tempos não sei o que são.
 
Pedi um filé de salmão com alcaparras na manteiga uma salada e um suco de laranja, afinal de contas, fome é fome, mas regime é regime né?
 
Abri meu laptop e levei um susto com aquela voz baixinha atrás de mim.
 
- Tio, dá um trocado?
 
- Não tenho menino!
 
- Só uma moedinha para comprar um pão!
 
- Está bem, compro um para você!
 
Para variar, minha caixa de entrada está lotada de e-mails. Fico distraído vendo as poesias, as formatações lindas, dando risadas com as piadas malucas. Ah! Essa música me leva a Londres e a boas lembranças de tempos idos.
 
- Tio, pede para colocar margarina e queijo também!
Percebo que o menino tinha ficado ali.
 
- Ok. Vou pedir, mas depois me deixa trabalhar, estou muito ocupado, tá?
 
Chega minha refeição e junto com ela meu constrangimento.
 
Faço o pedido do menino, e o garçom me pergunta se quero que mande o garoto ir "à luta". Meus resquícios de consciência me impedem de dizer. Digo que está tudo bem.
 
- Deixe-o ficar.
 
Peço ao garçom que traga não o pão, mas uma refeição decente para o menino.Então ele sentou à minha frente e me perguntou:
 
- Tio, que você tá fazendo?
 
- Estou lendo uns e-mails!
 
- O que são e-mails?
 
- São mensagens eletrônicas mandadas por pessoas via Internet!
 
Sabia que ele não ia entender nada, mas, a título de livrar-me de maiores questionamentos disse:
 
- É como se fosse uma carta, só que vem pela Internet!
 
- Tio, você tem Internet?
 
- Tenho sim, essencial ao mundo de hoje!
 
- O que é Internet?
 
- É um local no computador, onde podemos ver e ouvir muitas coisas, notícias, músicas, conhecer pessoas, ler, escrever, sonhar, trabalhar, aprender. Tem de tudo no mundo virtual!
 
- E o que é virtual?
 
Resolvo dar uma explicação simplificada, novamente na certeza que ele pouco vai entender e vai me liberar para comer minha refeição, sem culpas.
 
- Virtual é um local que imaginamos algo que não podemos pegar tocar. É lá que criamos um monte de coisas que gostaríamos de fazer. Criamos nossas fantasias, transformamos o mundo em quase como queríamos que ele fosse.
 
- Legal isso. Adoro!
 
- Mocinho, você entendeu o que é virtual?
 
- Sim, também vivo neste mundo virtual!
 
- Você tem computador?
 
- Não, mas meu mundo também é desse jeito virtual.
 
Minha mãe trabalha, fica o dia todo fora, só chega muito tarde, quase não a vejo, eu fico cuidando do meu irmão pequeno que vive chorando de fome e eu dou água para ele pensar que é sopa. Minha irmã mais velha sai todo dia, diz que vai vender o corpo, mas não entendo, pois ela sempre volta com o corpo. Meu pai está na cadeia há muito tempo.
 
Mas sempre imagino nossa família toda junta em casa, muita comida, muitos brinquedos, dia de Natal e eu indo ao colégio para virar médico um dia. Isso é virtual não é tio?
 
Fechei meu lap-top, não antes que lágrimas caíssem sobre o teclado. Esperei que o menino terminasse de, literalmente, "devorar" o prato dele, paguei a conta e o troco, dei-o para o garoto, que me retribuiu com um dos mais belos e sinceros sorrisos que já recebi na vida e com um:
 
- "Brigado tio. Você é legal!".
 
Ali, naquele instante, tive a maior prova do virtualismo insensato que vivemos todos os dias, enquanto a realidade cruel nos rodeia de verdade e fazemos de conta que não percebemos!''
(Autor desconhecido)
 

23.11.05

Como o bonde voltou a Barcelona



A lamentação se sucede, volta e meia, nos círculos pseudo-saudosistas paulistanos: 'se não tivéssemos retirado o bonde de São Paulo tudo seria diferente'. O saudosismo, um tanto quanto duvidoso (já que a grande cidade naquela época era pouco maior que a Fartura dos meus pais e quatro vezes menor que a Divinópolis de minha esposa), reflete uma vontade incontida desse tipo de cidadão paulistano em achar que o passado sempre foi melhor do que os dias de hoje, e de sonhar com um futuro em que possamos ter uma cidade mais planejada, mais ordeira e, indiretamente, mais humana.

Descontado o fato de que as grandes cidades do mundo quase nunca tem um crescimento ordenado, e que o progresso é efetuado não só pelas demandas de Estado mas pelos cidadãos e seus preconceitos (como andar de carro para ir à esquina buscar pão), é verdade que o passado nos fascina e nos surpreende; mas uma pequena repassada em livros como 'Brás, Bexiga e Barra Funda' mostra que o passado também tinha seus defeitos, e deslizes, e que, de uma certa maneira, o futuro já se desenhava por trás de caminhos tortuosos, indústrias, crescimento e burburinho.

Mas nem tudo é largado no passado: e foi com esse espanto que eu li como o bonde voltou a Barcelona.
...

E, não, isso não é um texto fictício - Barcelona, a grande cidade espanhola, teve bondes (tramvias) durante boa parte de sua história, mas durante a década de 70 fechou todas as linhas de transporte por trilhos nas ruas à exceção do Tramvia Blau, uma linha turística. O objetivo do prefeito da época, indicado pelo ditador Francisco Franco (que Deus o tenha no inferno), era o mesmo que levou ao fim dos bondes em São Paulo: liberar espaço para os carros e projetar novos planos para o transporte público - ou seja, 'implantação do metrô'.

Entretanto, o plano não deu certo, e em 1984 Barcelona possuia somente duas linhas de metrô; de tal forma que, em 1987, iniciaram-se os primeiros projetos para o retorno ao bonde naquela cidade - e, em 1997, chegava à capital catalã o primeiro 'tramvia' moderno, que reimplantou os bondes na cidade com relativo sucesso (embora, agora, como Veículos Leves sobre Trilhos, os VLT´s), devidamente integrados aos trens e às linhas de metrô que fizeram.


...


Vendo as fotos do site de uma associação de usuários de transporte coletivo da Catalunha, me pergunto como é que ninguém pensou nessa solução ainda. Vale lembrar que o corredor de ônibus da Av. Santo Amaro nada mais é que o espaço onde funcionava a maior linha de bonde da cidade, e que as linhas de trólebus são herdeiras diretas do final dos bondes na cidade, que foi uma decisão correta no ambiente dos anos 60 mas que não resistiu ao tempo e à pressão.

Infelizmente, parece-me que vamos gastar muito tempo e dinheiro com linhas de metrô e tentando aumentar o ônibus antes de dar um transporte decente e de qualidade - mas, para você ver imagens e documentos a respeito de como uma cidade pode dar a volta por cima em termos de transporte, visite o site que fala do bonde em Barcelona: www.tramvia.org.
(e, se desejar, visite também o site do Museu dos Transportes, da SP-Trans, para ver as boas imagens do paassado: http://www.sptrans.com.br/new05/conteudos/historia/museu.htm).

22.11.05

O que eu ando vendo por aí ...

Profissão de Risco: SBT, 18/11
Deveria ser exibido em favelas do RJ, como prova definitiva de que 'o crime não compensa'.
 
Sinais: Globo, 21/11
Teologia reformada misturada com ficção científica: minha mulher gostou, e eu também.
 
Tokusou Sentai Dekaranger 13, via mulinha:
Dekamaster devastando cem mechas de forma es-pe-ta-cu-lar com contador do lado, não tem preço.
 
Ver a cara de felicidade do seu sobrinho, quando você dá a ele um Megaman NT de presente:
Também não tem - é bão dimais da conta, sô !!!
 
Sailor Moon Live Action:
Estou com a série praticamente completa - quando eu vou assistir, é outra coisa.
 
E segue a fila; por enquanto é só, pessoal ...

Uma insanidade o soco do Netinho no Vesgo ...

... e, para quem tiver o praze sádico de ver em primeira mão o momento da pancada, as fotos estão aqui, do site Querido Leitor: http://queridoleitor.zip.net/#2005_11-21_21_51_27-3951611-0; link que prova que Netinho pode ser politicamente correto para as princesas dele, mas que, quando se trata de encarar brincadeiras (ainda que de mau gosto), não passa de um tremendo boçal.
 
E aqui cabe lembrar uma informação que poucos se lembram sobre a RedeTV!:
 
Ao obter a concessão sobre o Canal 9 de São Paulo, Amilcare Dallevo e Marcelo de Carvalho lançaram o slogan 'qualidade na TV', como a idéia de fazer uma emissora de qualidade na TV aberta com programação semelhante à TV paga, mais ou menos como o Canal21 tenta até hoje sem muito sucesso.
 
E, diga-se de passagem, eles tentaram: quem assistiu ao primeiro ano deles, com programas como 'Galera na TV', da Sorvetão; o 'Eu vi na TV!' original (com João Kleber fazendo papel de humorista e não de apresentador) e o 'Superpop' da Galisteu, que era bem mais do que o desfile de baixarias que se vê hoje, e compara com o período atual, se espanta bastante com a queda de nível da programação.
 
O que aconteceu, então?
 
Não precisa ser muito esperto para dizer a resposta: faltou combinar com os russos, no caso o público, que eles teriam que gostar de qualidade na TV de qualquer jeito - e o resultado se reflete muito bem quando não se tem dinheiro para pagar as contas (se não, convenhamos, teríamos desenhos à tarde e não uma pancada de programas infantis para vender câmera digital).
 
Agora, pergunto: quem tem a culpa? Fala sério !!!

Mini-conto da segunda, na terça - ou será mini-poesia?

Procedimentos de rotina
 
Segunda:
pensar em ti.
 
Terça:
olhar para ti.
 
Quarta:
sonhar contigo.
 
Quinta:
observar-te.
 
Sexta:
perceber-te.
 
Sábado:
amar-te.
 
Domingo:
recomeçar tudo de novo.
 
Recomendações:
não seguir sempre as regras acima, repetir os procedimentos quantas vezes forem necessárias, se possível todos ao mesmo tempo e não na mesma ordem, e mais de um ao mesmo dia, se necessário
 
Recomendações II:
SEMPRE é necessário.

FPS, 22/11/05, 10:54

21.11.05

Venezuela, México e o pênalti que não houve

A Veja dessa semana publicou matéria falando sobre as encrencas diplomáticas de México e Venezuela, representadas pelas bravatas que Hugo Chavez, o libertador bolivariano que meio mundo adora odiar e outros tantos amam de paixão, e Vicente Fox, o ex-executivo da Coca-Cola com cara de texano que rompeu o monopólio do poder priista no país da tequila.
 
Mas, descartando as inevitáveis comparações econômicas de sempre, e o ódio incontido que a publicação da Abril tem pelo chavismo, podemos dizer que a briga entre ambos nada tem de ideológica - mas sim da velha e boa propaganda, aquela que fez a metamorfose de pensamentos do Lula e levou o homem a chegar, finalmente, lá.
 
Senão, vejamos: 
 
Chavez é, acima de tudo, o grande marqueteiro de um modelo de democracia que se pretende revolucionária, mas nada mais é que a justificativa para um 'governo forte', que ele manterá enquanto conseguir dar pão para uma grande massa que nada em petróleo mas não via a cor do dinheiro até ele chegar com seu papo de 'Bolivar de segunda mão'.
 
Fox, por sua vez, encarna a face do neoliberalismo em todos os aspectos, com o que ele tem de bom e de ruim; e o neoliberalismo seria perfeito não fosse por um pequeno detalhe chamado 'povo', esse mundo de gente que nem sempre tem qualificação necessária para encarar um mundo de carniceiros onde tudo é produto, até mesmo o trabalhador - e que nem lhe garante sucesso nas eleições mexicanas, marcadas para breve, que podem repetir o que aconteceu na India (e voltaremos a esse assunto, ele é bem interessante).
 
Logo, a briguinha vem a calhar: ambos fazem pose, bravata, ambos retornam com seus embaixadores para as mesuras diplomáticas e ambos posam de vencedores - dê só mais uma semana, e veja se não é assim que vai terminar essa estória.
 
...
 
Corinthians e Internacional fizeram um jogo nervoso, ao menos na parte que eu vi (só o primeiro tempo). Mas, para meu irmão e minha cunhada dizerem que o time do Inter foi prejudicado - ambos corinthianos e muito mais torcedores do que eu - já dava para perceber que algo estava errado no pênalti que não houve.
 
Consultado o meu juri particular (minha esposa e eu), dei o veredicto: foi pênalti, sim.
 
Mas não vai adiantar muita coisa, porque títulos são para ser contestados pelos perdedores e comemorados pelos vencedores, e o futebol, que é o mais subjetivo dos esportes, aceita tudo por ser movido por paixões, que fazem com que muitos perdoem até os piores erros por conta de uma simples vitória, esquecendo-se dos detalhes de quem jogou bem, jogou mal, ou mereceu.
 
Isso é o que faz o futebol ser o que é - e, francamente, alguém acredita que o Timão vai abrir mão do título porque ele 'foi injusto', ou 'não foi merecido'?
 
É ruim, hein !!!

19.11.05

Orgulho vadio da mediocridade da burka

Não falo,
não ouço,
não vejo.

Nada sei,
nada quero,
nada posso.

Nada sou.

E,
ainda assim,
me orgulho disso.



FPS, 18/11/2005, 16:15

Bella Luna

BELLA LUNA

Lua bela,
agarrava-se a meu rosto,
com o devido ardor
e com tremendo furor.

Me atiça,
me aqueçe,
bela lua, lua bela,
que emoldurada,
se encontra no céu.

Ou na Terra, talvez,
porque não?

Lua, és bela,
és linda,
e (melhor de tudo),
és minha,
só minha ...


Assim como,
de todo,
sou seu.

FPS, 18/11/2005, 16:55

18.11.05

Vem aí, na Inglaterra, a Fanta SEM gás ... pode?

Pode - pelo menos para a subsidiária britânica da Coca-Cola, que resolveu diversificar as vendas lançando um refrigerante sem gás; se vai vender, é outra história, mas a iniciativa é boa para quem gosta de um Tang mais sofisticado - veja mais detalhes em http://br.invertia.com/noticias/noticia.aspx?idNoticia=200511181904_INV_28854636.
 
Mas, se você não gostar, tem também o refrigerante com gosto de salmão e peru com molho de carne (ugh!), bem no gosto do Thanksgiving americano: http://br.invertia.com/noticias/noticia.aspx?idNoticia=200511172001_INV_28852629.

P. S.: ugh!

Para alegrar o dia, revirando conceitos de um antigo baú ...

Final de ano

 

                Muitas coisas nos acontecem todo final de ano. Preparativos para as festas, música, felicidade, amor e paz são passados e vendidos em todos os cantos.

 

                Por todos os lados, a correria de final de ano é evidente. Movimentos nas lojas denunciam que é época de dar presentes, e também de receber. Nas empresas, a preparação do fim de ano também é muito grande: é nesse período que se vende mais, que se trabalha mais ... enfim, que se corre mais, pensando em fechar tudo aquilo que passou no fim do ano.

 

                É um período de alegria, pelo fim das aulas dos estudantes. Todos podem, enfim, descansar e curtir um pouco a paz. No entanto, poucos, às vezes, se lembram do motivo de tanta festa, e preferem deixar tudo isso de lado, por causa da correria, dos presentes, da festa e de tudo que lembra o final do ano.

 

                “Hoje, nasceu um menino”. Essa frase, há muito tempo, povoa os corações daqueles que são cristãos em todo o mundo, pois o Natal é a festa cristã mais comemorada no ano todo, mais que a Páscoa, mais que os feriados católicos, mais do que qualquer dia do ano, mesmo que existam símbolos que estejam fora de qualquer ligação com essa festa, mesmo que queiram apagar o significado dessa festa de final de ano.

 

                “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. Pensando em Jo 3.16, mesmo os pinheirinhos, roupas vermelhas berrantes e tudo o mais que já foi feito para tentar “vender” o Natal dos sonhos de todo mundo, que pode ser comprado e vendido como se fosse apenas uma questão de “dar o melhor presente” ou “fazer a melhor festa”é secundário, diante do fato de que o Natal, antes de tudo, é a festa do nascimento de Cristo, e a esperança de um Ano Novo melhor, com as graças de Deus, é o que une os pensamentos de todos aqueles que crêem nas palavras do Filho de Deus, aquele que veio para salvar os perdidos e trazer luz a um mundo onde somente as trevas reinavam.

 

                Diante disso, apenas podemos desejar que possamos pensar no significado das festas de fim de ano. Que o Natal não seja, entre nós, mais uma das festas que são usadas apenas para tirar dinheiro do povo, e seja realmente uma festa digna de nossos pensamentos, atos e palavras. E que o Ano Novo que virá possa nos trazer muitas felicidades, e muitas vitórias, apesar dos problemas que enfrentamos em vida.

 

                Que Deus esteja conosco no Natal, no Ano Novo, e em todos os dias de nossas vidas. Sempre!

 

 

Fábio Peres (em 11 de dezembro de 1995)

17.11.05

Auto-apresentação (acho que a melhor que já fiz até hoje)

Com suas permissões, de todos do grupo, reapareço; e, me permitam dizer se não se importam, a casa está limpa, a roupa está nova, os móveis estão outros, cheirando a um brilho especial.
Portanto, de mais a mais, permitam apresentar-me ...
FPS, 30 anos completados em 06/09, nascido em São Paulo-SP às 10:35 no leito L-51 da famosa Maternidade São Paulo, hoje infelizmente desativada pelo tempo e pelo descaso.
Literário desde o dia em que um colega o desafiou a escrever alguns textos para as devocionais da Igreja que frequentava, membro de listas de discussão desde o dia em que acessou pela primeira vez a Internet em casa; impedido de exercer seus dotes pela dureza do passado, foi despertado por uma filípica furiosa e nunca mais parou com sua escrita.
Viciado em emails, downloads e análises de quaisquer espécie, sejam elas quais for; calvinista, democrático, cético sem ser pessimista, cínico sem ser peçonhento, amigo, colega e também irmão.
Amante do Centro Velho, Paulista e Tatuapé; da política, religião e futebol; aprecia a vida tranquila, mas se nutre dos ares da grande cidade; define-se como a mente insana por trás dos blogs Olho Clínico (http://cliniceye.blogspot.com) e TrashEtc. (http://trashetc.blogspot.com), o primeiro sobre assuntos gerais, o segundo sobre cultura trash - e que nada mais são do que espelhos, distorcidos mais iguais, filhos legítimos do mesmo pai.
Que mais dizer? Só que não gosta de definir-se; prefere que os outros vejam por si só e definam quem ele é.

FPS, 17/10/2005, 18:26

Que beleza ...

Pela primeira vez, um registro de procura que achou este site via Google: e foi justamente "saban lixo" - se bem que a Disney é que cuida hoje dos Power Rangers, tendo pago cerca de 2 bilhões de dólares pelo lixo que o amigo se referia, naquela que foi considerada à época a transação mais cara envolvendo uma família de produtos em Hollywood (eitcha lixo caro ...).
 
Mas se você quiser saber mais sobre o homem mais odiado pelos fãs do legítimo tokusatsu, veja qual é o perfil desse israelense que plantou o live-action na França e criou a mina de ouro que abastece os cofres da Toei, Bandai e Disney até hoje:
 
 
 

Quem será campeão brasileiro? Corinthians ou Internacional?

Até ontem à noite eram de 92% de chances do Corinthians ser campeão brasileiro.
 
Eram, porque depois que o São Caetano aprontou mais uma das suas e afastou temporariamente os riscos de um rebaixamento, os percentuais ficaram malucos e o jogo entre o Timão e o Colorado gaúcho no domingo ganhou os ares de uma final antecipada do campeonato de pontos corridos brasileiro, comprovando a vocação de nossa 'Liga' para bom teste de marcapasso de cardíaco, tamanha a dificuldade em se avaliar aquele que é o maior campeonato em pontos corridos do mundo.
 
Mas quem será o campeão, afinal? Considerando-se meus conhecimentos clubísticos, pessoais, profisionais e que tais - e também pensando na paixão torcedora de cada um, resolvi desenvolver um sistema só meu para saber quem deve ser o campeão brasileiro, baseado em dados relevantes que qualquer uma das pessoas poderiam entender perfeitamente, seja pela razão ou pela emoção.
 
Assim, segue a análise empírico-futebolística justificável para saber quem será o campeão brasileiro, com os prós para Timão e Inter, de forma explicativa e sintética (mas nem tanto), e seguindo o placar do futebol que todo mundo entende bem:
  • O Corinthians é um grande time; logo começa em vantagem, 1 a 0
  • O Inter também é, ao menos para os gaúchos - empate, 1 a 1
  • O Timão é melhor time, no individual - Corinthians, 2 a 1
  • O Inter tem um bom coletivo - e empata: 2 a 2
  • O Corinthians tem grana à beça - passa a frente, 3 a 2
  • A grana é meio suspeita - Inter empata, 3 a 3
  • O Corinthians tem o Tevez - desempate, 4 a 3
  • Meu irmão é corinthiano - mais um, 5 a 3 Timão
  • Mas é colorado, no Sul (embora não oficialmente) - 5 a 4, diminui a vantagem.
  • E tem Rafael Sobes (que ao menos a mulherada gosta mais) - e empata de novo, 5 a 5
  • São três pontos, a três rodadas do final - Timão 6 a 5
  • Mas que é bom uma virada, ah isso é - e empata o Internacional: 6 a 6 !!!
Poderíamos ficar o tempo todo falando destas vantagens e desvantagens, mas como a mente insana por trás do Olho Clínico é a de um são-paulino não-tão fanático por influência do pai e do bi-mundial, e cruzeirense por parte da querida e amorosa esposa, jogo a razão de lado para dizer o seguinte: vai dar Corinthians, mas como seria lindo ver os alvinegros morrendo na praia ... hehehe ...

Nota de pesar e outros etc. do gênero

Faleceu na segunda-feira, 14/11, vítima do Ministério Público e do moralismo de plantão, o Eu Vi na TV! e seu quadro mais trash, o 'Teste de Fidelidade', e seu similar da tarde, o 'Tarde Quente', juntamente com as pegadinhas que denegriam homossexuais e outras invenções malucas do João Kleber, que, provavelmente, vai se mudar para Portugal e fazer sucesso com as versões desses puros exemplares do trash por lá.
 
Maravilhoso, como alguns diriam?
 
Depende; nos últimos tempos a TV brasileira vem sendo vitimada por uma praga de altas proporções, chamada 'politicamente correto', e que, usando como pretexto a portaria 796/não-me-lembro-o-ano e artigos da Constituição Federal, tem retirado ou forçado a barra para que determinados programas sejam expulsos da telinha a bem da 'formação do povo brasileiro'.
 
Curiosamente esses novos defensores da moral e dos bons costumes andam se esquecendo de que quase nada está sendo colocado de volta no ar, à exceção de programas femininos que servem para vender câmeras digitais e outras coisas do gênero; sem falar que até novelas estão sendo objeto desse emburrecimento, já que hoje uma novela precisa ter, mais do que uma boa trama que agrade ao público, uma polêmica de inclusão social, uma ação pró-qualquer minoria e mais duas ou três atitudes de personagens supostamente 'do bem', que estão, francamente, enchendo cada vez mais a paciência de quem assiste à TV somente pelo puro prazer da diversão.
 
Logo, logo, seremos obrigados a soltar outra nota de pesar - mas pelo fracasso da TV brasileira como um todo; infelizmente.
 
...
 
Nem tudo, no entanto, é ruim: YuYu Hakusho volta às telas brasileiras, para os afortunados que pegam a Rede21 em rede nacional - está lá, às 19h e antes dos Cavaleiros do Zodíaco (embora censurado, em parte, mas com o encerramento original que, parodiando a Galisteu do passado, é muito show).
 
O que é também um indício de que, na divisão da massa falida da Manchete, a parte japonesa ficou com a Band; resta saber se isso inclui o Jiraya e o Maskman que ficavam tapando buraco antes da venda da concessão para a RedeTV! ...
 
...
 
Estarei de volta em breve - espero ... mas antes não posso me esquecer de um detalhe: boa parte das séries antigas, japonesas ou não, não seriam liberadas para TV aberta sem censura; ou será que estou errado ???
 
 

16.11.05

A situação na França, vista pelos olhos da dureza

Suponhamos que eu vá para um país diferente, porque senão eu morro de fome onde eu estou, e, mesmo sendo tratado como lixo, eu vá conseguindo um lugarzinho aqui, outro ali.
 
E, sabe como é, seguro-desemprego, um quartinho apertado: e vou levando a vida, porque melhor é alguma coisa que nada.
 
Aí eu conheço alguém, e tenho um filho.
 
E meu filho não tem ligação com meu antigo país, mas não é reconhecido como alguém em sua pátria.
 
Talvez nem saiba a língua de seus pais, mas se procurar emprego é tratado como o mesmo lixo que os pais eram, ou se acostumaram a ser.
 
Meu filho não se conforma, tem o mesmo salariozinho mixuruca mas quer mais - ele quer respeito, dignidade, coisa que não lhe dão porque não querem, ou porque acham que ele é uma caca humana sem valor.
 
E as más companhias fazem o resto - dizem que ele precisa ter atitude, e ele tem, da pior maneira possível.
 
Queima carros, casas, participa de atividades terroristas ... e vira refém de si mesmo.
 
Deportado, será um idiota na terra de seus pais que nunca foi sua; preso, acabará com sua vida de uma vez.
 

 
Isso é a França de hoje; e é nessa hora que dá orgulho de ser brasileiro; porque felizmente não chegamos a fazer com nossos imigrantes o que a Europa faz com os dela.
 

15.11.05

352 visitas até hoje


Você sabia ...
  • ... que os dias de maior visita a este humilde blog foram, pela ordem, 05 de novembro, 28 de outubro, 04 de novembro e 12 de novembro?
  • ... que, destes, 73% são do Brasil, 13% dos Estados Unidos e que existem acessos de países como Espanha, Reino Unido, Canadá, Austrália, Holanda e até um fulano dos Emirados Árabes Unidos?
  • ... que já foram achar este sítio procurando por "estuprador de noivas" e "shortinho curto"?
  • ... que apesar disso os únicos comentários neste blog vem sendo os dos spam-bloggers, versão dos spam-mails que colocam posts me elogiando e convidando para comprar o produto xyz que eu nem tenho idéia para que serve?

Aliás, esse é um bom assunto para os próximos blogs: spam-blogs, funcionam ou não?

11.11.05

Boas reflexões de sexta-feira ...

O mundo animal

 

                Existe uma variada gama de animais que os zoólogos sempre procuram estudar, ávidos de informações sobre seu comportamento, reprodução, alimentação e hábitos de organização. Se agem em bandos ou sozinhos, se caçam, pescam ou comem frutos, se tem pelos ou penas, e por aí vai, demonstrando que o homem adora conhecer os bichos, e entender porque agem assim, ou como.

 

                Embora não seja zoólogo e o máximo que eu conheço de animais é chegar perto do cachorro do vizinho ou da gata da secretária, devo dizer que certos animais me fascinam muito, principalmente no campo dos répteis e anfíbios, que são, na minha humilde opinião, animais desprezados pela maioria das pessoas mas capazes de proezas fascinantes, e de métodos de organização e trabalho exuberantes, dependendo da forma como “pensam” e “sentem” o que está ao seu redor. Vejamos, agora, alguns destes injustiçados animais que a natureza humana renegou a um segundo plano, mas que valem muito para o equilíbrio de nossa natureza.

 

...

 

                Cobra: um animal de hábitos noturnos e solitários, tem seu maior poder nas presas, que destilam veneno mortal, capaz de matar em minutos. É capaz de ficar horas esperando sua presa, mas dá um bote rápido e destruidor, que garante seu sustento por muitos dias, e satisfaz suas condições até a chegada de outro infeliz que caia em suas garras, digo, bocas. Quando não tem veneno, mata por estrangulamento - caso da conhecida sucuri; no entanto, tem que arrastar-se para chegar ao seu “objetivo”, e não é imune à obstáculos naturais, muito pelo contrário, pois não tem pernas para ultrapassá-los.

 

...

 

                Mangusto: animal ignóbil, um pouco menor que a cobra, se arrasta igualmente a procura de sua presa, não tendo forças suficientes para passar das primeiras barreiras em seu caminho. Tem, no entanto, uma característica interessante: é imune ao veneno das cobras, que se tornaram seu principal alimento ao redor dos tempos. No entanto, falta-lhes, muitas vezes, a característica de força que suas companheiras tem, condenando-os a ser relegados a um modesto segundo plano.

 

...

 

                Lagarto: caracterizado pela lentidão, é o único dos animais relacionados que possui facilidade para transpor obstáculos, graças à sua “força física” e às suas pernas, que são semelhantes às do companheiro jacaré, mas maiores e mais fortes. Ataca, geralmente, com força, podendo destruir até mesmo seres humanos, muito maiores do que ele. Tem contra si o fato de estar relacionado à péssima “inteligência”, não sendo muito adequado para algo mais do que o uso da sua enorme energia.

 

...

 

                Camaleão: animal que tem a grande característica de mudar de cor para enganar o “inimigo”, costuma alimentar-se de pequenos insetos, o que demonstra sua falta de força para algo mais do que isso. É, no entanto, difícil de “pegar-se”, pelos seus conhecimentos de camuflagem e por sua pequena estatura. Considero-o interessante, em um posterior estudo, mas não mais do que isso.

 

...

 

                Tartaruga: animal que impressiona pela sua carapuça forte, e também por sua lentidão ao locomover-se. No entanto, é decidido em seu ritmo, e consegue as coisas pela persistência e determinação com que alcança seus objetivos, apesar de poucos. Fascinante - para quem gosta ...

 

...

 

                Sapo: ataca quando menos se espera, e possui veneno cegante - no caso das suas “co-irmãs” pererecas - e salta com agilidade. No entanto, é frágil tecnicamente quando atacado pelas cobras e lagartos que pulam em seu dia-a-dia, podendo ser abatido facilmente por um deles - quando o querem, é claro.

 

...

 

                Crocodilo: extremamente forte, embora não tão ágil, e temido por todos os outros, graças à sua enorme carapaça. Tem, no entanto, um problema: olhos muito sensíveis à luz, o que torna extremamente fácil sua captura e destruição - bolsas e malas que o digam, nas lojas chiques de Paris ...

 

...

 

                Todos esses animais tem características e forças especiais: agilidade, veneno, força física, proteção, imunidade. Também tem seus defeitos: fragilidade, fadigas, fraquezas que só podem ser vistas depois de muito tempo. Todos são fortes, mas também são fracos. Para vencer em sua vida, usam de muitos expedientes, e para escapar do inimigo, também. Aliar suas forças e minimizar suas fraquezas é muito mais do que um caminho para o “sucesso”: é uma necessidade para eles, de vida e sobrevivência, para crescer ou escapar da morte, e para vencer.

 

                O mundo animal pode nos ensinar ainda muito mais; basta que observemos e sintamos tudo isso, como animais que somos.

 

                Sendo racionais ... ou não.

 

 

(em 11/11/1995, sob o pseudônimo de Omar O. Sirep)


P. S.: Caramba, como a vida é insana - um texto escrito há exatamente 10 anos (e numa sexta !!!).

8.11.05

'Roda Viva' e o presidente: comentários de um novembro meio-frio

Após ter visto a entrevista do presidente Lula no 'Roda Viva', fiquei com a impressão que, em breve, se pedirá deste homem as qualidades de Mahatma Gandhi, Nelson Mandela e Franklin Roosevelt juntos, tamanha a fúria com a qual este foi acuado pelos jornalistas comparado a governos anteriores a este que aqui está e tamanha a dificuldade com a qual ele tentou se esquivar dos golpes de hostilidade que toda entrevista desse estilo proporciona.
 
Não é para menos, num momento de crise política como o atual realmente se faz necessário falar dessas situações, e não é à toa que os governantes fogem da imprensa como o diabo foge da cruz quando não estão em bons momentos, como é o caso deste governo atual; de mais a mais, Fernando Henrique e outros também tiveram os seus momentos de brigas com a imprensa, e não seria diferente para um governo abominável para a temida classe média conservadora, essa parcela da pública que está cada vez mais cobrando explicações sobre honestidade e virtudes da figura do presidente, mas que quase nunca pratica essas virtudes no dia-a-dia - e que, curiosamente, são os mesmos que sentem vergonha indiscreta de um operário no poder mas trocariam o dito cujo por outro que nem faculdade possui (caso de José Serra, que não se tornou engenheiro por conta do exílio e fez mestrado e doutorado fora do país, se muitos não sabem).
 
Percebe-se que, na verdade, a política brasileira transformou-se numa briga entre primos-irmãos, os do PT e do PSDB, que controlam a parte organizada da sociedade e que fazem no poder medidas semelhantes uns aos outros, já que são filhos da mesma onda, a saber, a social-democracia que hoje flerta com a terceira via liberal a fim de manter-se no poder descontentando aos liberais e não contentando os conservadores, já que não afrouxa a lei brasileira o suficiente para torná-la mais capitalista, e, talvez, mais desigual. Lula, nesse ponto, é a continuidade desse esquema - só que, diferente do apoio do empresariado, se escora nos movimentos sociais que hoje o apóiam mais por odiar seu inimigo do que por amá-lo de verdade, e que, embora cite Juscelino, cada vez mais se assemelha a Getúlio, nos gestos e atitudes, e a Bill Clinton, que assumiu os dogmas da direita para garantir o domínio democrata em tempos de conservadorismo constante.
 
De fato, Lula não deixa de ser o homem inteligente que é e um dos símbolos da luta contra a ditadura - mas o Brasil não quer eleger símbolos, quer resolver problemas, e por isso se deu a tal da metamorfose que está transformando a política no país. Podem dizer o contrário, quanto for, mas ainda estamos reféns dos 30% da população que não são tucano-pefelistas nem petistas e esquerdistas, que querem dinheiro no bolso e comida na mesa, e que estão mais preocupados com o dia de amanhã do que com os próximos 30 anos - são eles que elegem homens e desfazem sonhos, e são eles que decidirão, no fundo, quem vai pender para a esquerda ou a direita nesse país, a cada eleição que passa.
 
E, que não se esqueça: esse povo pode até lembrar de Juscelino, mas gosta mesmo é de uma boa dose de Getúlio na veia, para o bem, ou para o mal.
 

P. S.: Não esqueça de ler o post sobre o Alerta do Olho Clínico, logo abaixo.

7.11.05

Falando de TV, mas sem ser panfletário ...

Depois do tal beijo que não houve, por imposição da Globo (leia-se: das mães que venceram três vezes a batalha para não ensinarem coisa feia a seus filhos no horário nobre), passou meio que batido as estréias do Márcio Garcia e do Raul Gil na briga pela audiência do final de semana.
 
E essa briga promete: de um lado a Record, tentando mudar sua imagem de emissora popular para o de TV com estilo, que é na verdade cópia do esquema-Globo-de-trabalho sem o glamour e a história da mesma; a Band, por outro lado, está tentando achar uma maneira de sair do buraco em que se afundou vendendo horários para R. R. Soares e se comprometendo com Gilberto Barros até 2007 - e, convenhamos, nessas horas um peso-pesado popular como Raul Gil cai muito bem na verdade.
 
Pelo visto, os planos vão funcionar bem: 'O Melhor do Brasil', aos sábados, não compromete, e Márcio Garcia é extremamente clean, servindo como um ótimo cartão de visita que a emissora dos bispos pretende usar para dizer que mudou e que não é mais a das sessões de descarrego madrugada a fora; nesse caso a briga é por faturamento, e Luciano Huck também não é exemplo de carisma para o horário.
 
Já a Band precisa de uma injeção de patrocínios, dinheiro e carisma, e nisso o velho Raul é craque - o programa dele é a mesma coisa desde que eu era bebê, as estratégias são primárias para obter audiência (como uma menina de cabelos encaracolados se enrolando para dizer 'telespectadores' e adolescentes que poderiam ser seus filhos soltando lágrimas de felicidade por um disco de ouro pela metade), mas não é que o programa consegue chamar a atenção mesmo com a velha fórmula batida de sempre?
 
Ou será que é a velha fórmula batida de sempre que funciona? Com a palavra, Sua Majestade, o Público, que já não devia espantar ninguém mas sempre espanta !!!
 

 
P. S.: E se Ratinho estivesse nos velhos tempos, será que 'América' daria certo como deu?
 

6.11.05

Gays ameaçam com "beijaço" em Brasília

Estava muito na cara que não iria acontecer o tal beijo gay do final da novela; e, fora o choro de Bruno Gagliasso e as manifestações no Orkut, parece-me que os céus não cederam e a população brasileira passou sem mais esta ameaça à moral e aos bons-costumes, protegendo nossas crianças da indecência - embora, convenhamos, não as protejamos do preconceito, mas isso é outra estória.

Fica aqui, então, a sugestão para Luiz Mott e outros arautos do politicamente correto: que tal pagarem para mostrar o beijo que a Globo não mostrou ao invés de ficar criticando a emissora como se ela fosse a doutrinadora nacional que já foi no passado (se é que foi um dia)? Sim, porque uma coisa não se pode negar: a Globo prestou um serviço aos "valores morais moderninhos" durante toda a novela, e só por essa derrapada é injusto condená-la quando o problema está na sociedade brasileira como um todo, essa é a verdade.

Infelizmente - ou não.




P. S.: Sorte minha que o Blogger está fora do país e que só meia dúzia lê este site ...


P. S. II: FINALMENTE, uma configuração decente em um post !!! ALELUIA !!! ....

Os novos heróis japoneses de 2006


Segundo a Toei Co., estão prontos os esquemas dos novos Supersentai e Kamen Rider para 2006, no qual ainda se reserva uma novidade devido ao 30° aniversário de criação dos superesquadrões japoneses (fonte: TCafe).
Diz a Toei que é uma coisa que ninguém viu antes, mas o fato é que eu só não vi até hoje uma líder num sentai - e, quando eu falo em líder, eu quero dizer "tem a roupa vermelha, dá as ordens, manda prender, soltar e matar", ou seja, é a que tecnicamente manda nas batalhas e é o que tem o direito de liderança na série, ainda que este tenha sido diluído demais no decorrer dos tempos, é fato.
Entretanto, não custa nada lembrar que existiria outra possibilidade: um crossover entre os sentai e os riders - embora esta seja remota pela relação carnal que existe entre os esquadrões japoneses e suas cópias americanas: mas só o fato de ser o 30° sentai já é motivo para esperar novidades importantes para os Adobengers ... já pensou, no que seria esta grande novidade?
E, enquanto não aparecem novidades, segue uma foto dos JAKQ, o segundo supersentai (e que ainda será objeto de comentários neste blog, aguardem e verão ...).

4.11.05

Porque crente só pode ouvir música de crente?

Esse assunto começou de trás para a frente, mais ou menos como o processo de rodar o disco ao contrário para saber se a música tem trechos satânicos - primeiro vieram os links abaixo, sobre o hip-hop de Deus e a charge sobre o rock gospel, e depois o pensamento que não sai da minha cabeça desde então, que poderia ser descrito como 'a evolução (ou involução) do gospel nos dias de hoje'.
 
Toda música sacra que conhecemos tem uma origem básica: o canto gregoriano, que descambou no gospel que os negros cantam até hoje nas Igrejas cotidianas; no entanto os dias atuais vem transformando esse significado. Gospel, hoje, passou a signficar uma boa desculpa para se fazer música profana com um ritmo agradável e um 'JESUS' no meio para contentar os pais dos jovens crentes quando eles querem ouvir um ritmo mais da sua idade, já que Tati Quebra-barraco e que tais são indecentes mesmo para quem só frequenta banco de Igreja em batizado, casamento e funeral.
 
O engraçado é que os pais dos pais dos nossos pais também deviam ter esse tipo de problema, considerando-se que os nossos avôs e avós cantavam hinos nos templos e mantinham Orlando Silva em suas vitrolas de 78 rotações; mas alguém está exagerando - nada contra a qualidade ou a quantidade do gospel de hoje em dia, seja ele panfletário de denominações e doutrinas ou simplesmente pretexto para alguns fazerem sucesso, ou mesmo genuíno louvor, mas será que um evangélico não tem o direito de ouvir uma boa música simplesmente por ela ser uma boa música, ou porque gosta?
 
Convenhamos, até que alguns forrozinhos de crente são gostosos para um bate-coxa - bate-coxa gospel, por assim dizer, com todo o respeito, é para o Senhor, etc. e tal ... mas, sem querer ser preconceituoso mas já sendo um pouquinho, será que não estamos exagerando um pouco com essa história de tudo gospel, transformando esse conceito numa coisa parecida com o tudo light, ou tudo diet, ou tudo politicamente correto dos modismos que estão por aí? Não questiono a música gospel como ela está se desenvolvendo, já que tudo isso é questão de mercado, mas será que não dá para se dar o direito de ouvir um 'eu te amo' sem que Jesus esteja no meio deste amor?
 
Ou será que o caminho é botar Jesus em tudo, mesmo que seja na caixa do cereal ou no guaraná rosinha do Maranhão?
 

E seguem os links sobre o assunto, antes que eu me esqueça:
 
Excepcional matéria de NoMínimo a respeito do hip-hop gospel; e boa principalmente porque é uma forma de sabermos como quem gosta da fruta (o hip-hop) vê a sua versão cristã.
 
http://www.gardenal.org/ed/Rock8.jpg - o cartunista Ed analisa o rock gospel; a interpretação de "demo" é hilária.
 
http://webmail.jesus.com.br/ - não tem nada a ver com a história, mas se você quer ter um email de Jesus, cadastre-se aqui ...

 
 
 

Pequeno delírio de uma sexta alucinada

'Eu estou aqui, olhando pela janela,
e vendo o mundo girar;
e aos poucos, sinto que sinto,
e sinto meu sonho avançar.
 
Mulheres, tremei;
minha princesa passará.
 
E, quando passar,
meu coração levará'

FPS, 04/10/2005, 16:34

Para pensar - Ligados pelo Amor. (via introspectou)

Nunca me divirto com nada. Estou sempre esperando pelo que vem depois. Acho que todos são assim. Vivem de forma rápida, sem aproveitar o mom...